Perfil de morbimortalidade das principais causas de hospitalização entre pessoas idosas no Brasil

Alanna Ribeiro da Silva, Tainá Soares Risso Rattes, Manuella Franco Cerqueira da Silva, Emily Rodrigues Mota, Everton Mateus Azevedo dos Santos, Kionna Oliveira Bernardes dos Santos, Daniel Dominguez Ferraz

Resumo


Introdução: O envelhecimento é um indicador de melhoria dos serviços de saúde. O número de idosos passará de 605 milhões, para 2 bilhões, entre os anos de 2000 e 2050. No Brasil, esse fato pode ser visto desde 2013, com uma representação relativa de 13,0% da população total. O envelhecimento compromete habilidades funcionais, aumentando o diagnóstico de doenças crônico-degenerativas, problemas de saúde e internações. Portanto este estudo teve como objetivo descrever as internações hospitalares entre idosos no Brasil. Metodologia: Este é um estudo quantitativo descritivo exploratório com base nas casuísticas de internações hospitalares, com enfoque em dados secundários contidos no Sistema de Informações Hospitalares (SIH/DATASUS), coletados através do formulário de Autorização de Internações Hospitalares (AIH), no período de 2010 a 2016. Resultados: Nos anos de 2010 a 2016, foram registradas 18.448.277 internações de idosos por diferentes causas no país. A pneumonia e a insuficiência cardíaca são as principais causas de internações, com maiores números nas regiões Sul e Sudeste. Além disso, as maiores taxas de concentração de mortalidade estão nestas regiões. Considerações finais: Os resultados encontrados neste trabalho reforçam a necessidade de uma maior utilização da atenção básica de saúde, visto que muitas patologias que acometem essa população são preveníveis e tratáveis.

Abstract

Introduction: Aging is an indicator of improved health services. The number of elderly people can increase from 605 million to 2 billion years between 2000 and 2050. In Brazil, this can be seen since 2013, with a relative representation of 13.0% of the total population. Aging implicates in functional skills, increases the diagnosis of chronic degenerative diseases, health problems and hospitalizations. Therefore, this study aimed to describe the hospitalizations in brazilian elderly. Methodology: This is an exploratory descriptive quantitative study based on cases of hospitalizations, with secondary data contained in the Hospital Information System (SIH/DATASUS), collected through the Hospitalization Authorization form (AIH), in the period from 2010 to 2016. Results: From 2010 to 2016 18,448,277 hospitalizations of the elderly people were registered because of different causes in the country. Pneumonia and heart failure are the main causes of hospitalization, with higher numbers in the South and Southeast. In addition, the highest mortality concentration rates are in these regions. Conclusions: The results found in this paper reinforce the need for greater use of primary health care, as many pathologies that affect this population can be prevented and treated.


Palavras-chave


Hospitalização; Causalidade; Idoso; Hospitalization; Causality; Aged

Texto completo:

PDF

Referências


Organização Mundial da Saúde. Estatísticas Sanitarias Mundiales. OMS; 2012.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Síntese de Indicadores Sociais: Uma análise das condições de vida da população brasileira. Rio de Janeiro; IBGE; 2014.

Bortolon PC, Andrade CLT, Andrade CAF. O perfil das internações do SUS para fratura osteoporótica de fêmur em idosos no Brasil: uma descrição do triênio 2006-2008. Cad. Saúde Pública 2011; 27(4): 733-742.

Arndt ABM, Telles JL, Kowalski SC. O custo direto da fratura de fêmur por quedas em pessoas idosas: análise no setor privado de saúde na cidade de Brasília, 2009. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol. 2011; 14(2): 221-32.

Lima MFC, Veras R. Saúde pública e envelhecimento. Cad. Saúde Pública 2003; 19(3): 700-701.

Campos FGD, Barrozo LV, Ruiz T, César CLG, Barros MBA, Carandina L, Goldbaum M. Distribuição espacial dos idosos de um município de médio porte do interior paulista segundo algumas características sócio-demográficas e de morbidade. Cad. Saúde Pública 2009; 25(1): 77-86.

Alfradique ME, Bonolo PF, Dourado I, Lima-Costa MF, Macinko J, Mendonça CS, et al. Internações por condições sensíveis à atenção primária: a construção da lista brasileira como ferramenta para medir o desempenho do sistema de saúde (Projeto ICSAP-Brasil). Cad. Saúde Pública 2009; 25(6): 1337-49.

Brasil. Ministério da Saúde. Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde - DATASUS. Brasília; 2017.

Banco Mundial. Envelhecendo em um Brasil mais velho: implicações do envelhecimento populacional para o crescimento econômico, a redução da pobreza, as finanças públicas e a prestação de serviços. Washington: The World Bank; 2011.

Gill TM, Allore HG, Holford TR, Guo Z. Hospitalization, restricted activity, and the development of disability among older persons. Jama 2004; 292(17): 2115-2124.

Nunes A. O envelhecimento populacional e as despesas do Sistema Único de Saúde. IPEA 2004, 60(2): 427-49.

Góis ALB, Veras RP. Informações sobre a morbidade hospitalar em idosos nas internações do Sistema Único de Saúde do Brasil. Ciênc. saúde coletiva 2010; 15: 2859-2869.

Cordeiro TMSC, D’Oliveira Junior A. Qualidade dos dados das notificações de hepatites virais por acidentes de trabalho, Brasil. Rev. bras. epidemiol. 2018; 21.

Lentsck MH, Mathias TAF. Hospitalizations for cardiovascular diseases and the coverage by the family health strategy. Rev. Latino-Am. Enfermagem 2015; 23(4): 611-619.

Alfradique ME, Bonolo PF, Dourado I, Lima-Costa MF, Macinko J, Mendonça CS, et al. Internações por condições sensíveis à atenção primária: a construção da lista brasileira como ferramenta para medir o desempenho do sistema de saúde (Projeto ICSAP - Brasil). Cad. Saúde Pública 2009;25(6):1337-1349.

Silveira RE, Silva ÁS, Sousa MC, Silva TAM. Gastos relacionados a hospitalizações de idosos no Brasil: perspectivas de uma década. Einstein 2013;11 (4).

Camarano AM, Beltrão KI. Distribuição espacial da população brasileira: mudanças na segunda metade deste século. Rio de Janeiro; 2000.

Portela MC, Lima SML, Ugá MAD, Gerschman S, Vasconcellos MTL. Estrutura e qualidade assistencial dos prestadores de serviços hospitalares à saúde suplementar no Brasil. Cad. Saúde Pública 2010; 26( 2 ): 399-408.

Berenstein CK, Wajnman S. Efeitos da estrutura etária nos gastos com internação no Sistema Único de Saúde: uma análise de decomposição para duas áreas metropolitanas brasileiras. Cad. Saúde Pública 2008; 24(10): 2301-2313.

Kastor A, Mohanty SK. Disease and age pattern of hospitalization and associated costs in India: 1995–2014. BMJ open, 2018; 8(1): 016990.

Lebrão ML. O envelhecimento no Brasil: aspectos da transição demográfica e epidemiológica. Saúde Coletiva. 2007; 4 (17): 135-140.

Schimdt MI, Duncan BB, Silva GA, Menezes AM, Monteiro CA, Barreto SM. Doenças crônicas não transmissíveis no Brasil: carga e desafios atuais. The Lancet 2011; 377:61-74.

Schimdt MI, Duncan BB, Silva GA, Menezes AM, Monteiro CA, Barreto SM. Doenças crônicas não transmissíveis no Brasil: carga e desafios atuais. The Lancet 2011; 377:61-74.

Loyola FAI, Leite MD, Giatti L, Afradique ME, Viana PS, Lima CMF. Causas de internações hospitalares entre idosos brasileiros no âmbito do Sistema Único de Saúde. Epidemiol. Serv. Saúde 2004; 13( 4 ): 229-238.

Millett ER, De Stavola BL, Quint JK, Smeeth L, Thomas SL. Risk factors for hospital admission in the 28 days following a community-acquired pneumonia diagnosis in older adults, and their contribution to increasing hospitalization rates over time: a cohort study. BMJ open 2015; 5(12): 008737.

Kirk MD, Hall GV, Becker N. Gastroenteritis in older people living in the community: results of two Australian surveys. Epidemiol Infect 2012; 140(11): 2028-36.

Jagai JS, Genee SS, Judith ES, Timothy JW. Trends in gastroenteritis-associated mortality in the United States, 1985–2005: variationsby ICD-9 and ICD-10 codes. BMC Gastroenterology 2014; 14(1): 211.

Gavazzi G, Krause KH. Ageing and infection. Lancet Infect Dis 2002; 2 (11):659-66.

Lentsck MH, Mathias TAF. Hospitalizations for cardiovascular diseases and the coverage by the family health strategy. Rev. Latino-Am. Enfermagem 2015; 23(4): 611-9.

Roever L, Tse G, Biondi-Zoccai G. Trends in cardiovascular disease in Australia and in the world. Eur J Prev Cardiol 2018; 1278-1279.

Ministério da Saúde (BR). Relatório de Cobertura da Atenção Básica. Brasília: Ministério da Saúde; 2017.




DOI: http://dx.doi.org/10.13102/rscdauefs.v9i0.4717

Apontamentos

  • Não há apontamentos.