Saída do aleitamento materno e uso de estimulantes do apetite: qual a relação?

Diego Carneiro Ramos, Thereza Christina Bahia Coelho

Resumo


Este artigo procurou observar a relação existente entre o uso de medicamentos estimulantes do apetite e a prática do aleitamento materno, principalmente na busca das lactentes de abandonar o processo de amamentação. O presente estudo faz parte de um quadro de resultados retirados de uma pesquisa qualitativa maior, que tinha como objetivo investigar as razões envolvidas no consumo de medicamentos para estimular o apetite de crianças. O estudo foi realizado por meio de entrevistas semiestruturadas com 15 mães residentes de um bairro urbano de uma cidade baiana de pequeno porte. As mães selecionadas deveriam ter administrado em seus filhos menores de cinco anos medicamentos para estimular o apetite dos filhos. Os dados foram analisados com base na técnica de análise de conteúdo. Foi encontrado em algumas mães um olhar reprovador para a preferência da criança pelo leite materno. Um comportamento que deveria ser modificado. O medicamento passa desta forma a ser utilizado como uma estratégia para que a criança perca o interesse pelo leite materno. As mães entrevistadas apresentavam um desejo de não amamentar que tinha relações com a sua significação do que era comer bem. O medicamento apareceu como um instrumento auxiliador no desmame.

Abstract

This article aims to observe the relationship between the use of appetite stimulant drugs and breastfeeding, specially in the pursuit of nursing mothers to abandon the process of breastfeeding. This study is part of a results framework elaborated from a larger qualitative study that aimed to investigate the reasons involved in the use of appetite stimulants in children. The study was conducted through semistructured interviews with 15 mothers living in an urban neighbourhood of a small town in Bahia. The selected mothers should have administered drugs to stimulate the appetite in their under five years old children. Data were analysed based on the technique of content analysis. It was found in some mothers a disapproving view related to the preference of the child for maternal milk. A behaviour that should be changed. On this case, the drug becomes a strategy for the child to lose interest in the breast milk. The interviewed mothers presented a desire to do not breastfeed the children that had relationship with their concepts of what to eat well is. The medicine represented a supporting tool in weaning.


 


Palavras-chave


Aleitamento materno; Nutrição infantil; Estimulantes do apetite

Texto completo:

PDF

Referências


Who. World health assembly resolution. Infant and young child nutrition. Geneva; WHO; 2001.

Garcia MT. Alimentação complementar e estado nutricional de crianças menores de dois anos em Acrelândia, Acre, Amazônia Ocidental Brasileira [Dissertação Mestrado]. São Paulo: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo; 2009.

Pelegrin RCP. O cuidado com a alimentação de crianças menores de um ano na perspectiva materna [Dissertação Mestrado]. Ribeirão Preto: Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto. Universidade de São Paulo; 2008.

Araujo OD, Cunha AL, Lustosa LR, Nery IS, Mendonça RCM, Campelo SMA . Aleitamento materno: fatores que levam ao desmame precoce. Rev. bras. enferm. 2008; 61(4): 488-92.

Medication during pregnancy: an intercontinental cooperative study. Int J Gynaecol Obstet 1992; 39:185-196.

Chaves RG. Uso de medicamentos por nutrizes em Itaúna-MG: caracterização e associação com o tempo de aleitamento materno [Dissertação Mestrado]. Belo Horizonte: Faculdade de Medicina, Universidade Federal de Minas Gerais; 2007.

Anderson PO, Pochop LS, Manoguerra AS. Adverse drug reactions in breastfed infants: Less than imagined. Clin Pediatr 2003; 42(4): 325-340.

Ito S. Drug therapy for breastfeeding women. N Engl J Med 2000; 343(18): 118-126.

Minayo MCS. Ciência, técnica e arte: o desafio da pesquisa qualitativa. Petrópolis: Vozes; 1994. Pesquisa social: teoria, método, criatividade; 9-29.

Gil AC. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas; 2002.

Minayo MCS. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. São Paulo: Hucitec; 1998.

Teixeira JJV, Lefèvre FA. Prescrição medicamentosa sob a ótica do paciente idoso. Rev. Saúde Pública 2001; 35(2): 207-13.

Coulthard H, Harris G, Emmett P. Delayed introduction of lumpy foods to children during the complementary feeding period affects child's food acceptance and feeding at 7 years of age. Matern Child Nutr 2009; 5(1): 75-85.

Brasil. Ministério da Saúde. Cadernos de Atenção Básica, n. 23. Saúde da Criança: nutrição infantil. Brasília: Ministério da Saúde, 2009.

Salve JM, Silva IA. Representações sociais de mães sobre a introdução de alimentos complementares para lactentes. Acta Paul. Enferm. 2009; 22(1): 43-48.

Ramos CV, Almeida JAG. Alegações maternas para o desmame: estudo qualitativo. J Pediatr. 2003; 79(5): 395-90.

Monte CMG, Giugliani ERJ. Recomendações para alimentação complementar da criança em aleitamento materno. J Pediatr. 2004; 80(5): 131-41.

Simondon KB, Simondon F. Age at introdution of complementary food and physical growth from 2 to 9 months in rural Senegal. Eur J Clin Nutr 1997; 51(10): 703-07.

Ramos DC, Coelho TCB. Representações sociais de mães sobre alimentação e uso de estimulantes do apetite em crianças: satisfação, normalidade e poder. Physis 2017; 27(2): 233-254.

Soares MD, Coelho TCB. O cotidiano do cuidado infantil em comunidades rurais do Estado da Bahia: uma abordagem qualitativa. Rev. Bras. Saude Mater. Infant. 2008; 8(4): 463-472.




DOI: http://dx.doi.org/10.13102/rscdauefs.v9i0.4940

Apontamentos

  • Não há apontamentos.