Perfil epidemiológico de vítimas de queimaduras internadas no Hospital de Emergência da Região Agreste de Alagoas

Autores

  • Juliana Gomes Carneiro Associação Pestalozzi de Arapiraca-AL
  • Maria do Socorro Alécio Barbosa Enfermeira do Trabalho do TRT 19ª Região
  • Maria Celeste Campello Diniz Centro Universitário Tiradentes (UNIT-AL).
  • Maysa Ferreira dos Santos
  • Kelly Cristina do Nascimento Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

Palavras-chave:

Epidemiologia, Queimadura, Hospitalização.

Resumo

O objetivo deste estudo é descrever o perfil epidemiológico de vítimas de queimaduras internadas no Hospital de Emergência do Agreste (HUE) na cidade de Arapiraca, Alagoas. Trata-se de um estudo descritivo com abordagem quantitativa do tipo exploratório e documental entre o período de janeiro a dezembro de 2019, por meio do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS), ícone “Informações em saúde”. Os dados foram tabelados no programa Microsoft Excel, com posterior contagem absoluta e relativa utilizando estatística descritiva. Foram analisados 66 pacientes, dos quais 4 (6,07%) foram a óbito. Dentre os pacientes internados, a maior parte era de crianças (45,6%), seguida de adultos (34,8%). O número de óbitos foi o mesmo para ambos os sexos (50%). No período estudado, o tempo médio de internamento foi de 5,5 dias e o valor médio de internamento de R$ 28.198,93. Observa-se, portanto, no estudo, que o perfil do paciente queimado no HUE é aquele do gênero masculino e criança, sendo os idosos com maior tempo de permanência hospitalar. Os dados obtidos são similares aos disponíveis na literatura e evidenciam a importância da prevenção, fiscalização e planejamento de políticas de saúde pública direcionadas a este agravo.

 

ABSTRACT
The aim of this study is to describe the epidemiological profile of burn victims hospitalized at the Emergency Hospital of Agreste (HUE) in the city of Arapiraca, Alagoas. This is a descriptive study with a quantitative approach of an exploratory and documentary type between the period of January to December 2019, through the Department of Informatics of the Unified Health System (DATASUS), in the icon “Information in health”. The data were tabulated in the Microsoft Excel program, with subsequent absolute and relative counting using descriptive statistics. 66 patients were analyzed, of which 4 (6.07%) died. Among inpatients, most were children (45.6%), followed by adults (34.8%). The number of deaths was the same for both sexes (50%). During the study period, the average hospital stay was 5.5 days and the average hospital stay was R$ 28,198.93.Therefore, it is observed, in the study, that the profile of the burned patient in the HUE, is that of the male gender and child, with the elderly having the longest hospital stay. The death data obtained are similar to those available in the literature and shows the importance of prevention, inspection and planning of public health policies aimed to this problem.

Keywords: Epidemiology; Burn; Hospitalization.

 

RESUMEN
El objetivo de este estudio es describir el perfil epidemiológico de las víctimas de quemaduras hospitalizadas en el Hospital de Emergencia do Agreste (HUE) de la ciudad de Arapiraca, Alagoas. Se trata de un estudio descriptivo con abordaje cuantitativo de tipo exploratorio y documental entre el período de enero a diciembre de 2019, a través del Departamento de Informática del Sistema Único de Salud (DATASUS), icono “Información en salud”. Los datos se tabularon en el programa Microsoft Excel, con posterior conteo absoluto y relativo mediante estadística descriptiva. Se analizaron 66 pacientes, de los cuales 4 (6,06%) fallecieron. Entre los pacientes hospitalizados, la mayoría eran niños (45,6%), seguidos de adultos (34,8%). El número de muertes fue el mismo para ambos sexos (50%). Durante el período de estudio, la estadía hospitalaria promedio fue de 5,5 días y la estadía hospitalaria promedio fue de R$ 28.198,93. Se observa, por tanto, en el estudio, que el perfil del paciente quemado en el HUE es el del género masculino e infantil, siendo el anciano el de mayor estancia hospitalaria. Los datos obtenidos son similares a los disponibles en la literatura y muestran la importancia de la prevención, fiscalización y planificación de las políticas de salud pública dirigidas a esta condición.

Palabras clave: Epidemiología; Quemadura; Hospitalización.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Referências

Almeida JWF, Santos JN. Assistência de enfermagem em grupos de riscos a queimadura. Rev Bras Queimaduras 2013; 12(2):71-6.

Lima OBA, Arruda AJCG, Carvalho, GDA, Melo VC, Silva AFA.Enfermagem e o cuidado à vítima de queimaduras: revisão integrativa. Rev. Enferm. UFPE 2013;7 (esp):4944-50.

Dalla-Corte LM,Fleury BAG, Haung M, Adorno J, Modelli MES. Perfilepidemiológico de vítimas de queimaduras no DF. Rev Bras Queimaduras 2019; 18(1): 36-9.

Oliveira TS, Moreira KFA, Gonçalves TA. Assistência de enfermagem com pacientes queimados. Rev Bras Queimaduras 2012; 11(1):31-7.

Vale ECS. Primeiro atendimento em queimaduras: a abordagem do dermatologista. An. Bras. Dermatol. 2005; 80(1):9-19.

Santos Junior RA, Melo Silva RL, Lima GL, Cintra BB, Borges KS. Perfil epidemiológico dos pacientes queimados no Hospital de Urgências de Sergipe. Rev Bras Queimaduras 2016; 15(4):251-5.

Adorno Filho ET, Almeida KG, Reis GC, Costa GR, Kracik AS, Ferreira LH, et al. Análise dos custos de pacientes internados na Santa Casa Misericórdia de Campo Grande. Rev. Bras. Cir. Plást. 2014; 29(4):562-6.

Brito JG, Martins CBG. Queimaduras domésticas na população infanto-juvenil: atendimentos de urgência e emergência. Rev. Eletr. Enfem. 2016; 18:e1139

World Health Organization (WHO). Injuries and violence: the facts. Geneva: Who; 2014.[acesso em 29 jun 2020]. Disponível em: https://apps.who.int/iris/handle/10665/149798

Cruz BF, Cordovil PBL, Batista KNM. Perfil de pacientes que sofreram queimaduras no Brasil. Rev Bras Queimaduras 2012; 11(4):246-50.

Tibola J, Pereira MJL, Franzoni MB, Guimarães FSV, Dias M, Barbosa E, et al. Assistência à criança vítima de queimaduras na Unidade de Queimados do Hospital Infantil Joana de Gusmão. Rev Bras Queimaduras 2004; 4(1):18-24.

Takino MA, Valenciano PJ, Itakussu EY, Kakitsuka EE, Hoshimo AA, Trelha CS, et al. Perfil epidemiológico de crianças e adolescentes vítimas de queimaduras admitidos em centro de tratamento de queimados. Rev Bras Queimaduras 2016; 15(2): 74-9.

Costa DM, Abrantes MM, Lamounier JA, Lemos ATO. Estudo descritivo de queimaduras em crianças e adolescentes. J Pediatr. 1999; 75(3):181-6.

Silva IKM, Leandro JM, Amaral LEF, Silva ACA, Marçal MLP, Fantinati AMM, et al. Análise de pacientes de 0 a 12 anos atendidos no Pronto Socorro para Queimaduras de Goiânia em 2011 e 2012. Rev Bras Queimaduras 2015; 14(1):14-7.

Queiroz JHM, Barreto KL, Lima JS. Crianças queimadas hospitalizadas em centro de referência de Fortaleza. Rev Bras Queimaduras 2019; 18(1):23-6.

Costa GOP, Silva JA, Santos AG. Perfil clínico e epidemiológico das queimaduras. Ciência & Saúde 2015; 8(3):146-55.

Carvalho ID, Freitas MCV, Macieira L. Tentativa de autoextermínio com queimaduras. Rev Bras Queimaduras 2014; 13(2):95-8.

Silva GPF, Olegario NB, PinheiroAMRS, Bastos VPD. Estudo epidemiológico dos pacientes idosos queimados no Centro de Tratamento de Queimados do Hospital Instituto Doutor José Frota do município de Fortaleza-CE, no período de 2004 a 2008. Rev Bras Queimaduras 2010; 9(1):7-10.

TakejimaML, Netto RFB, Toebe BL, Andretta MA, Prestes MA, Takaki JL. Prevenção de queimaduras: avaliação do conhecimento sobre prevenção de queimaduras em usuários das unidades de saúde de Curitiba. Rev. Bras. Queimaduras 2011; 10(3):85-8.

Mukerji G, Chamania S, Patidar GP, Gupta S. Epidemiology of pediatric burns in Indore, India. Burns 2001; 27(1):33-8.

Rossi LA, Ferreira E, Costa ECFB, Bergamasco EC, Camargo C. Prevenção de queimaduras: percepção de pacientes e de seus familiares. Rev. Latino-am. Enfermagem 2003; 11(1):36-42.

Leão CEG, Andrade ES, Fabrini DS, Oliveira RA, Machado GLB, Gontijo LC. Epidemiologia das queimaduras no estado de Minas Gerais. Rev. Bras. Cir. Plást. 2011; 26(4):573-77.

Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Especializada. Cartilha para tratamento de emergência das queimaduras. Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2012.

Gomes DR, Serra MC, Pellon MA. Tratado de Queimaduras: um guia prático. Rio de Janeiro: Revinter; 1997.

Lurk LK, Oliveira AF, Gragnani A, Ferreira LM. Evidências no tratamento de queimaduras. Rev Bras Queimaduras. 2010; 9(3):95-9.

Smeltzer SC, Bare BG, Hinkle JL, Cheever KH. Brunner & Suddarth: tratado de enfermagem médico-cirúrgica. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2009.

Spinelli J et al. Lesão inalatória grave: tratamento precoce e reversão do quadro. Rev Bras Queimaduras 2010; 9(1):31-4.

Ministério da Saúde (BR). DATASUS. Informações de Saúde [internet]. [acesso em 29 jun 2020]. Disponível em: http://www2.datasus.gov.br/DATASUS/index.php?area=02

Reis IF, Moreira CA, Costa ACSM. Estudo epidemiológico de pacientes internados na unidade de tratamento de queimados do hospital de urgência de Sergipe. Rev Bras Queimaduras 2011; 10(4):114-18.

Farina Junior JA, Almeida CEF, Barros MEPM, Martinez R. Redução da mortalidade em pacientes queimados. Rev. Bras. Queimaduras. 2014; 13(1):2-5.

Gawryszewski VP, Bernal RTI, Silva NN, Morais Neto OL, Silva MMA, Mascarenhas MDM, et al. Atendimentos decorrentes de queimaduras em serviços públicos de emergência no Brasil, 2009. Cad. Saúde Pública 2012; 28(4):629-40.

Gonçalves AC, Echevarría-Guanilo ME, Gonçalves N, Rossi LA, Farina Junior JA. Caracterização de pacientes atendidos em um serviço de queimados e atitudes no momento do acidente. Rev. Eletr. Enferm. 2012; 14(4):866-72.

MacedoAC, Proto RS, Moreira SS, Gonella HA. Estudo epidemiológico dos pacientes internados na Unidade de Tratamento de Queimados do Conjunto Hospitalar de Sorocaba entre 2001 a 2008. Rev Bras Queimaduras 2012; 11(1):23-25.

Ferreira LLP, Gomes-Neto JJ, Alves RA. Perfil epidemiológico de vítimas de queimaduras na Bahia. Rev Bras Queimaduras 2019; 18(1):33-38.

Lopes, AP, Pessoa LD, Oliveira TRS.Séries temporais de vítimas de queimaduras no Centro-Oeste e Nordeste. Rev Bras Queimaduras 2019; 18(1):27-32.

MoulinLL, Dantas DV, Dantas RAN, Vasconcelos EFL, Alquoc KM, Lima KRB et al. Perfil sociodemográfico e clínico de vítimas de queimaduras atendidas em um hospital de referência. Rev. Nursing (São Paulo) 2018; 21(238):2058-62.

Marinho LP, Andrade MC, Goes Junior AMO. Perfil epidemiológico de vítimas de queimadura internadas em hospital de trauma na região Norte do Brasil. Rev Bras Queimaduras 2018; 17(1):28-33.

Lima LS, Araújo MAR, Cavendish TA, Assis EM, Aguiar G. Perfil epidemiológico e antropométrico de pacientes internados em uma unidade de tratamento de queimados em Brasília, Distrito Federal. Com. Ciências Saúde 2010; 21(4): 301-8.

Nascimento LKA, Barreto JM, Costa ACSM. Análise das variáveis grau e porte da queimadura, tempo de internação hospitalar e ocorrência de óbito em pacientes admitidos em uma Unidade de Tratamento de Queimados. Rev Bras Queimaduras 2013; 12(4):256-9.

Downloads

Publicado

2021-05-04

Como Citar

Carneiro, J. G., Barbosa, M. do S. A., Diniz, M. C. C., dos Santos, M. F., & do Nascimento, K. C. (2021). Perfil epidemiológico de vítimas de queimaduras internadas no Hospital de Emergência da Região Agreste de Alagoas. Revista De Saúde Coletiva Da UEFS, 11(1), e5693. Recuperado de http://periodicos.uefs.br/index.php/saudecoletiva/article/view/5693

Edição

Seção

Artigos
Share |