Situação vacinal entre Agentes Comunitários de Saúde

Autores

  • Caio Fellipe Dias Muniz Universidade Federal do Recôncavo da Bahia
  • Paloma de Sousa Pinho Universidade Federal do Recôncavo da Bahia
  • Fernanda de Oliveira Souza Universidade Federal do Recôncavo da Bahia
  • Tânia Maria de Araújo Universidade Estadual de Feira de Santana

DOI:

https://doi.org/10.13102/rscdauefs.v11i1.6190

Palavras-chave:

Agentes Comunitários de Saúde, Vacinação, Saúde do trabalhador

Resumo

Objetivo: Investigar e comparar a situação vacinal para as vacinas garantidas pelo PNI entre Agentes comunitários de saúde de um município do Recôncavo da Bahia. Métodos: Estudo de corte transversal, realizado nos anos de 2011 com 121 Agentes comunitários de saúde e em 2019 com 111, em Santo Antônio de Jesus, Bahia, para investigação da completude dos cartões vacinais destes trabalhadores. Considerou-se apenas a informação verbal sobre o recebimento das doses das vacinas recomendadas em 2011, e em 2019 tanto a informação autorreferida quanto as informações contidas nos cartões de vacinação. Os dados obtidos foram analisados por estatística descritiva com auxílio do software IBM SPSS Statistics versão 22. Resultados: Em ambos os anos, a amostra foi composta em sua maioria pelo sexo feminino, idade entre 30 e 49 anos e cor parda. Apenas 19,5% desses trabalhadores, em 2011, e 24,7%, em 2019, apresentavam esquema vacinal completo. A análise dos cartões vacinais demonstrou uma taxa de apenas 14,9% de completude. Conclusão: A maioria dos Agentes Comunitários de Saúde está com o cartão vacinal desatualizado. Os resultados demonstram percentuais alarmantes requerendo investimento profundo em ações de caráter educativo que potencialmente contribuirão para uma melhoria da situação evidenciada.

 

ABSTRACT

Objective: Investigate and compare the vaccination status for vaccines guaranteed by the PNI among Community health agents in a city in the Recôncavo of Bahia. Methods: Crosssectional study, conducted in 2011 with 121 Community health agents and in 2019 with 111, in Santo Antônio de Jesus, Bahia, to investigate the completeness of the vaccination cards of these workers. We considered only verbal information about the receipt of the recommended vaccine doses in 2011, and in 2019 both the self-reported information and the information contained in the vaccination cards. The data obtained were analyzed by descriptive statistics with the aid of ibm SPSS Statistics version 22 software. Results: In both years, the sample was composed mostly of females, aged between 30 and 49 years and brown color. Only 19.5% of these workers in 2011 and 24.7% in 2019 had a complete vaccination schedule. The analysis of vaccination cards showed a rate of only 14.9% completeness. Conclusion: Most Community health workers have an outdated vaccination card. The results show alarming percentages requiring deep investment in educational actions that will potentially contribute to an improvement of the situation evidenced.

Keywords: Community Health Workers; Vaccination; Occupational Health.

 

RESUMEN

Objetivo: Investigar y comparar la situación de vacunación de las vacunas garantizadas por el PNI entre los agentes comunitarios de salud de un municipio del Recôncavo de Bahia. Métodos: estudio transversal, realizado en 2011 con 121 trabajadores comunitarios de salud y en 2019 con 111, en Santo Antônio de Jesus, Bahía, para investigar la integridad de las cartillas de vacunación de estos trabajadores. Solo se consideró la información verbal a cerca de la recepción de las dosis recomendadas de vacuna en 2011, y en 2019 tanto la información autoinformada como la información contenida en las tarjetas de vacunación. Los datos obtenidos se analizaron mediante estadística descriptiva con la ayuda del software IBM SPSS Statistics versión 22. Resultados: En ambos años, la muestra estuvo compuesta mayoritariamente por mujeres, con edades entre 30 y 49 años y piel morena. Solo el 19,5% de estos trabajadores, en 2011, y el 24,7%, en 2019, tenían un calendario de vacunación completo. El análisis de las tarjetas de vacunación mostró una tasa de solo el 14,9% de compleción. Conclusión: la mayoría de los agentes comunitarios de salud tienen una tarjeta de vacunación obsoleta. Los resultados muestran porcentajes alarmantes que requieren una profunda inversión en acciones educativas que potencialmente contribuirán a mejorar la situación evidenciada.

Palabras clave: Agentes comunitarios de salud; Vacunación; Salud del trabajador.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Referências

Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Atenção Básica. Política Nacional de Atenção Básica. [Internet]. 2012 [acesso em 16 dez 2020]; Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nacional_atencao_basica.pdf

Morosini MV, Fonseca AF. Os agentes comunitários na Atenção Primária à Saúde no Brasil: inventário de conquistas e desafios. Saúde debate 2018; 42(spe1):261-74.

Ferreira VSC, Andrade CS, Franco TB, Merhy EE. Processo de trabalho do agente comunitário de saúde e a reestruturação produtiva. Cad. Saúde Pública 2009; 25(4):898-906.

Nunes CA, Aquino R, Medina MG, Vilasbôas ALQ, Pinto Júnior EP, Luz LA da. Visitas domiciliares no Brasil: características da atividade basilar dos Agentes Comunitários de Saúde. Saúde debate 2018; 42(spe2):127–44.

Ministério da Saúde (BR). Instrução normativa referente ao calendário nacional de vacinação [Internet]. Vol. 2. [acesso em 16 de dez 2020]. Brasília: MS; 2020. Disponível em: https://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2019/marco/22/Instrucao-Normativa-Calendario-Vacinacao-Site.pdf

Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Vigilância em Saúde. Coordenação-Geral de Desenvolvimento da Epidemiologia em Serviços. Guia de Vigilância em Saúde. Brasília: MS; 2019.

Sociedade Brasileira de Imunizações (SBim). Calendários de Vacinação - SBIm [Internet]. [acesso em 19 de dez 2020]. Disponível em: https://sbim.org.br/calendarios-de-vacinacao

Domingues CMAS, Teixeira AM da S. Coberturas vacinais e doenças imunopreveníveis no Brasil no período 1982-2012: avanços e desafios do Programa Nacional de Imunizações. Epidemiol. serv. saúde 2013; 22(1):9-27.

Santos S de LV dos, Alves SB, Sousa ACS e, Tipple AFV, Mendonça KM. A Imunização dos profissionais da área de saúde: Uma reflexão necessária. REME rev. min. enferm 2010;14(4):595-601.

Guzman-Holst A, DeAntonio R, Prado-Cohrs D, Juliao P. Barriers to vaccination in Latin America: A systematic literature review. Vaccine 2020; 38(3):470-81

Harrison N, Brand A, Forstner C, Tobudic S, Burgmann K, Burgmann H. Knowledge, risk perception and attitudes toward vaccination among Austrian health care workers: A cross-sectional study. Hum Vaccin Immunother 2016; 12(9):2459-63.

Neufeind J, Betsch C, Habersaat KB, Eckardt M, Schmid P, Wichmann O. Barriers and drivers to adult vaccination among family physicians – Insights for tailoring the immunization program in Germany. Vaccine 2020; 38(27):4252-62.

Wilson R, Zaytseva A, Bocquier A, Nokri A, Fressard L, Chamboredon P, et al. Vaccine hesitancy and self-vaccination behaviors among nurses in southeastern France. Vaccine 2020; 38(5):1144-51.

Sato APS. Qual a importância da hesitação vacinal na queda das coberturas vacinais no Brasil? Rev. Saúde Pública 2018; 52 (96).

Araújo TM de, Souza F de O, Pinho P de S. Vacinação e fatores associados entre trabalhadores da saúde. Cad. Saúde Pública 2019; 35(4):e00169618.

Waldman EA, Sato APS. Path of infectious diseases in Brazil in the last 50 years: an ongoing challenge. Rev. Saúde Públ. 2016;50(0).

Maciel FBM, Santos HLPC dos, Carneiro RA da S, Souza EA de, Prado NM de BL, Teixeira CF de S. Agente comunitário de saúde: reflexões sobre o processo de trabalho em saúde em tempos de pandemia de Covid-19. Ciênc. saúde coletiva 2020; 25(suppl 2):4185-95.

Santos ACD, Hoppe ADS, Krug SBF. Agente Comunitário de Saúde: implicações dos custos humanos laborais na saúde do trabalhador. Physis 2018; 28(4):e280403.

Souza F de O, Freitas P de SP, Araújo TM de, Gomes MR. Vacinação contra hepatite B e Anti-HBS entre trabalhadores da saúde. Cad. saúde colet. 2015; 23(2):172-9.

Góes AFP, Pinho PDS. Aspectos Psicossociais do Trabalho e Transtornos Mentais Comuns entre os Agentes Comunitários de Saúde. Rev. Saúde Col. UEFS 2016; 6(1):8-13.

Almeida LGN, Torres SC, Santos CMF dos. Riscos ocupacionais na atividade dos profissionais de saúde da Atenção Básica. REC 2012;1(1):142-154.

Milani RM, Canini SRMS, Garbin LM, Teles SA, Gir E, Pimenta FR. Imunização contra hepatite B em profissionais e estudantes da área da saúde: revisão integrativa. Rev. Eletr. Enf. 2011; 13(2):323-30.

Karnaki P, Baka A, Petralias A, Veloudaki A, Zota D, Linos A, et al. Immunization related behaviour among healthcare workers in Europe: Results of the HProImmune survey. Cent Eur J Public Health 2019; 27(3):204-11.

Souza F de O, Araújo TM de. Exposição ocupacional e vacinação para hepatite B entre trabalhadores da atenção primária e média complexidade. Rev. bras. med. trab. 2018; 16(1):36-43.

Auta A, Adewuyi EO, Kureh GT, Onoviran N, Adeloye D. Hepatitis B vaccination coverage among health-care workers in Africa: A systematic review and meta-analysis. Vaccine 2018; 36(32):4851-60.

Klett-Tammen CJ, Krause G, von Lengerke T, Castell S. Advising vaccinations for the elderly: a cross-sectional survey on differences between general practitioners and physician assistants in Germany. BMC Fam Pract 2016; 17:98.

Lages AS, França EB, Freitas MIF. Profissionais de saúde no processo de vacinação contra hepatite B em duas unidades básicas de Belo Horizonte: uma avaliação qualitativa. Rev. Bras. Epidemiol. 2013; 16(2):364-375

Paterson P, Meurice F, Stanberry LR, Glismann S, Rosenthal SL, Larson HJ. Vaccine hesitancy and healthcare providers. Vaccine 2016; 34(52):6700-6.

Agradecimentos e Financiamento

Esse trabalho contou com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do estado da Bahia (FAPESB) e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Downloads

Publicado

2021-06-01

Como Citar

Muniz, C. F. D., Pinho, P. de S., Souza, F. de O., & Araújo, T. M. de. (2021). Situação vacinal entre Agentes Comunitários de Saúde. Revista De Saúde Coletiva Da UEFS, 11(1), e6190. https://doi.org/10.13102/rscdauefs.v11i1.6190

Edição

Seção

Artigos
Share |