Experiências de participação juvenil em uma escola do ensino médio da cidade de Feira de Santana: entre dilemas e contradições.

Chimena Oliveira Santos

Resumo


Este trabalho busca investigar as concepções e práticas juvenis de jovens das camadas populares na relação com a escola, promovendo espaços de participação e construção de conhecimento. A partir disso, visa possibilitar aos jovens que participarão deste trabalho, o exercício do protagonismo e a troca de experiências.
Considerando a importância das produções realizadas pelo grupo de pesquisa Trace, em especial ao longo do projeto de pesquisa “Consumo e produção cultural: experimentações estéticas, éticas e políticas entre jovens de Feira de Santana –Ba” verificou-se como através das culturas juvenis e da produção artística os jovens se apropriam e reinventam o espaço urbano que lhes são disponíveis, seja por meio do grafite, da música, da dança, da poesia, etc. Podemos afirmar que, por meio dessas atividades e suas formas de sociabilidade, é possível promover o empoderamento destes jovens, reconhecendo sua maior aceitação na comunidade e o fortalecimento da convivência grupal, como formas de pertencimento político e social significativo, para além da escola.
O questionamento que surge, é o de que forma a escola proporciona a esses jovens projetos que promovam a oportunidade de um espaço para falar e agir, onde o jovem possa se expressar livremente e construir essa dimensão de si mesmo e que tenha como princípio o exercício do protagonismo juvenil, refletindo sobre as tensões e conflitos vivenciados por esses jovens.
A partir desta perspectiva é necessário pensar em como essa escola deve ser repensada para que tenha a capacidade de responder a estas expectativas e desafios que a juventude vem trazendo, proporcionando aos jovens a oportunidade de dialogar sobre as suas demandas, além de demandas externas trazidas pelas mudanças sociais, políticas e econômicas do país.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.