A VARIAÇÃO DAS REGÊNCIAS DOS VERBOS ASSISTIR E NAMORAR NO PORTUGUÊS BRASILEIRO E NO PORTUGUÊS LUANDENSE: UMA DISCUSSÃO SOBRE A FORMAÇÃO DO PORTUGUÊS BRASILEIRO

Manoel Crispiniano Alves da Silva

Resumo


Com o aparato teórico-metodológico da Sociolinguística Variacionista (LABOV, 1972), este trabalho teve o objetivo de investigar possíveis semelhanças ou diferenças a respeito do uso variável das regências dos verbos assistir e namorar no português falado em Luanda, capital de Angola, comparando os resultados alcançados com o uso das regências destes verbos no português falado em Feira de Santana-BA, sendo este representante do Português Brasileiro (doravante PB). Esta análise traz subsídios para melhor entender a formação da realidade sociolinguística brasileira, haja vista que pode lançar novas luzes a respeito da importância do contato linguístico na formação da identidade linguística do português falado no Brasil. Esta pesquisa buscou preencher uma lacuna no sentido de não apenas comparar os dados do PB ao Português Europeu (PE), mas ao português falado em uma ex-colônia de Portugal, Angola, pois “[...] para a compreensão do português brasileiro em geral, uma orientação antiga e tradicional, mas ainda viva que é a de buscar “influências” das línguas africanas no português brasileiro [...]” (MATTOS E SILVA, 2004, p. 93), para que possa ser medido o peso do contato linguístico entre ambas as nações.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.