DESENVOLVIMENTO DE BEBIDA MISTA A BASE DE AIPIM, MANGA E MEL

Jailma Custódio R. Santos

Resumo


O aproveitamento de matérias primas gerados da agricultura familiar é apontado como uma possibilidade viável para a melhoria das condições econômicas e para a segurança alimentar da região semiárida, além disso, reforça a ideia de agregar valor a produtos processados. O desenvolvimento de novos produtos (DNP) contendo matérias primas obtidas no semiárido baiano como o aipim e manga é uma alternativa de uso sustentável para produção de um produto que pode ser consumido por uma gama de consumidores (SANTOS, et. al., 2017). Atrelado ao DNP novas formulações de bebida mista é uma alternativa que combina o habito do consumo de alimentos naturais, complementação de nutrientes fornecidos por ingredientes diferentes, e o consumo de bebidas não carbonatadas “prontas para beber” crescente no Brasil (ABREU, et al, 2011).
O Brasil e principalmente a região semiárida apresenta características especiais de flora e clima que, lhe conferem um potencial fabuloso para a atividade apícola, o cultivo de mandioca e a produção de manga. O mel apresenta uma composição complexa da qual fazem parte cerca de 180 componentes diferentes, constituído por frutose e glicose, apresentando também, outros carboidratos, água e diversos constituintes nos quais se incluem compostos fenólicos e flavonóides, minerais, enzimas, aminoácidos e vitaminas, além disso, apresenta compostos antioxidantes e pode ser utilizado como adoçante natural (SERRA, 201_). A mandioca é planta tolerante à seca e a solos de baixa fertilidade e pode ser cultivada durante todo o ano, sua classificação baseia-se no teor de ácido cianídrico, enquanto a mandioca-brava é rica neste componente a mandioca-mansa ou aipim tem as raízes com baixo teor de acido podendo ser consumido cozido ou assado (FILHO, 2013). Aipim é rico em teores de amido, que é a principal fonte de energia biológica na alimentação humana. No entanto o aipim possui valor agregado na forma in natura baixo, abrindo margem para o uso em derivados. A manga contém vitaminas (A, C, E), flavonoides e outros nutrientes que conferem propriedades antioxidantes (GRANJA, et al, 2014), ou seja, a manga tem a função de potencializar a valor nutricional da bebida, além de ser responsável pela coloração e sabor da fruta. A Bahia apresenta 38,54 % de manga cultivada do total da região nordestina, produção alta se comparada com os outros estados Nordestinos (SILVA; CORREIA, 2004), desta forma a disponibilidade da fruta e consequentemente da polpa industrial favorece a utilização para produção do novo produto.
Diante do exposto, a bebida à base de aipim, manga e mel, na forma de “pronto para beber” surge como uma alternativa de maximizar a produção e comercialização da
matéria prima gerando maiores rendas para os agricultores familiares e fornecer
segurança alimentar à comunidade já que a bebida mista poderá ser aplicada na merenda
escolar da região e ser consumida por pessoas de qualquer faixa etária, por agregar valor
nutricional e praticidade de consumo.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.