A INFLUÊNCIA DA VARIAÇÃO SAZONAL DAS CHUVAS NO VOLUME DE CISTERNAS DE ÁGUA NO ESTADO DA BAHIA

Juliana Farias Araujo

Resumo


O programa de Formação e Mobilização Social para a Convivência com o Semiárido – P1MC – baseia-se na construção de cisternas com volume definido em 16.000 L. Porém, questionou-se essa padronização, a fim de que se maximize a relação custo-benefício do Programa e garanta o real atendimento das necessidades hídricas de cada habitação. Assim, buscou-se desenvolver métodos de dimensionamento de reservatório mais racionais, de forma que se leve em consideração a diversidade de fatores que envolvem a determinação da confiabilidade, como, principalmente, a pluviosidade (média pluviométrica e a sua distribuição anualmente), alé, da área de telhado e a demanda de cada habitação. Para analisar as diversas combinações dessas variáveis, buscou-se utilizar parâmetros adimensionais e normalizados, como a Fração de Demanda (FD) e a Fração de Reservação (FR). Neste estudo, utilizou-se a confiabilidade de 95%, por se direcionar para áreas rurais, em que a água de chuva é a principal fonte hídrica. Assim, buscou-se o volume do reservatório recomendável para cada residência instalada no território baiano, de forma que se garanta que não haja um superdimensionamento, nem um subdimensionamento. Houve também uma indicação da área de telhado adicional, quando necessária.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.