A CONSTITUIÇÃO DA REDE DE SENTIDOS MODERNA E A PSICOLOGIA

Matheus Rios Silva Santos

Resumo


Assim como as sociedades atuais foram sendo constituídas por longos e
complexos processos de dominação, relações de poder e antagonismos, o conceito de
sujeito ocidental se forjou por uma série de processos de subjetivação e articulação de
signos que nos permitem, hoje, investigá-lo. Gestada por um longo período desde a
antiguidade clássica, a categoria moderna de s ujeito foi sendo conformada ao longo de
toda a história ocidental. Um estudo genealógico pode demonstrar que a concepção
clássica de p syché , posteriormente entendida como alma ou como espírito; a separação
corpo/alma; as mudanças na categoria de homem; o conceito de c ogito cartesiano; os
processos de colonização ou de conquista do “Novo Mundo”; grandes correntes do
pensamento ocidental a partir do século XVIII, como o Iluminismo e o Romantismo;
todos estes aspectos influenciaram na conformação da moderna ideia de sujeito.
Neste sentido, esta pesquisa, partindo do conceito de r ede de sentidos
desenvolvido por Sombra (2015a; 2015b; 2017), objetivou estudar como se deu a
constituição da rede de sentidos moderna. De modo mais específico, estudamos como a
categoria de sujeito foi ganhando cada vez mais valor dentro dessa rede e de que forma
a Psicologia recorre a ela para construir suas teorias sobre o sujeito.
É importante deixar claro que essa configuração não se deu de modo pacífico e
linear, mas sempre marcada por disputas, rupturas e processos de antagonismo, como é
inerente ao campo social. Por isso, recorremos ao conceito de c olonialidade do poder,
desenvolvido pelo sociólogo Aníbal Quijano, para compreendermos como os signos da
cultura europeia passaram a se sobrepor sobre os signos das demais culturas,
principalmente, em se tratando de América Latina.
A leitura dos textos deste sociólogo também foi fundamental para situarmos
historicamente a emergência da modernidade , compreendendo o papel da América
Latina neste processo. Ainda se tratando da modernidade, não poderíamos deixar de
demarcar a importância daquelas que são consideradas as duas revoluções
individualistas dos tempos modernos: o I luminismo e o Romantismo . Por fim, fizemos
uma breve discussão recorrendo ao Behaviorismo e à Psicanálise para explanarmos
como estas Escolas psicológicas foram influenciadas pelos signos da rede de sentidos
moderna.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.