APLICAÇÃO DE DADOS MODIS PARA MAPEAMENTO DA COBERTURA VEGETAL NATURAL E ANTRÓPICA NO POLO DE JEREMOABO-BA

Nerivaldo Afonso Santos

Resumo


O bioma caatinga é caracterizado por apresentar uma variedade florística diversificada, abrigando um grande número de espécies da fauna brasileira. No entanto, segundo dados do MMA-IBAMA (2011) esse bioma, que compreende uma área de 826.411,23 Km², apresentou supressão de 45,62% de sua vegetação natural, parte desta, foi convertida em agropecuária e em outros usos. Na Bahia, onde se insere a área de estudo, segundo o órgão supracitado, 51,43% da vegetação foram suprimidos. Acompanhar essas mudanças no padrão de uso e ocupação do solo tem sido um desafio, considerando a dinâmica desses processos. Nesse sentido os dados de sensoriamento remoto aliados às técnicas de processamento digital de imagens têm sido utilizados de maneira bastante eficaz. No bioma caatinga, o estudo da variabilidade sazonal da vegetação em escala regional é possível através de dados multitemporais, como os do sensor MODIS (Moderate Resolution Imaging Spectroradiometer), que tem disponibilizado séries temporais de índices de vegetação (NDVI – Índice de Vegetação de Diferença Normalizado e EVI - Índice de Vegetação Realçado). Dentre as características do sensor MODIS destaca-se a sua resolução espectral, que registra informações em 36 faixas do espectro, combinadas dão origem a 44 produtos, destinados a diversos estudos e em diferentes níveis de processamento. Diante da relevância na abordagem da temática, a pesquisa desenvolvida no presente trabalho teve como objetivo, aplicar assinaturas temporais oriundas de dados de sensoriamento remoto para mapear as principais classes da cobertura vegetal natural e antrópica na região nordeste da Bahia. Tais estudos em que se busca compreender a dinâmica da vegetação através da análise de series temporais têm apresentado resultados satisfatórios (BORGES, 2014).

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.