A LÍRICA EXISTENCIALISTA DE ROBERVAL PEREYR EM “MIRANTES”

Roseni Miranda da Silva

Resumo


No presente trabalho, proponho a análise e reflexões dos poemas “ Lírico; O outro no espelho; Ofício e Poema”, do livro Mirantes (2011), ganhador do prémio Braskem de literatura (promovido pela Academia de Letras da Bahia) do poeta feirense Roberval Pereyr. É escritor, compositor, professor universitário e co- fundador da revista feirense Hera (1972/2005), de Feira de Santana. Entre seus livros destacam-se: As roupas do nu (coleção dos Novos, em 1981); Ocidentais (1987); Saguão de mitos (1998); A unidade primordial da lírica moderna (2000); Amálgama- Nas praias do avesso e poesia anterior (2004). No livro Mirantes, encontramos um lirismo que vem desde os cancioneiros até os grandes líricos da poesia moderna do século XX. As suas poesias possuem características marcantes do existencialismo e da metafísica. Em seus poemas notamos a busca pelo sentido do ser e propõe refletir o lugar do ser no mundo. Tomaremos, como referencial teórico autores como Octavio Paz e Hugo Friedrich, no que diz respeito às características da lírica moderna, e as ideias de pensadores como Sartre e Kierkegaard, no que se refere ao pensamento existencialista, que coloca o homem diante da sua condição existencial, enfrentando o mundo, a angústia frente à sua finitude.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.