LABORATÓRIO DE ENSINO EM GEOGRAFIA: UMA ANALISE, TEÓRICO-METODOLÓGICA PARA O ENSINO DO LUGAR FEIRA DE SANTANA

Edson da Silva Santos, Célia Regina Batista dos Santos

Resumo


O lugar tem sido compreendido como laboratório para se compreender o mundo; sua abordagem na articulação entre a teoria e o espaço real torna o processo de ensino e de aprendizagem mais significativos, além de contribuir para o processo de formação e/ou (re) afirmação da(s) identidade(s) das pessoas para com o seu lugar de vivencia. Contudo, tal abordagem detém-se na carência de materiais didáticos e de professores com conhecimentos teórico-metodológicos consistentes para abordar criticamente a realidade local durante a mediação pedagógica, visto que os cursos de graduação estão voltados geralmente para temas mais gerais.
Para lidar com essas situações, de acordo com Pimenta (1997) é importante investir numa formação docente inicial e continuada pautada na perspectiva do professor pesquisador, que desenvolva um constante processo de reflexão sobre a prática, abrindo espaços para questioná-la e buscar soluções através do desenvolvimento de pesquisas no ambiente escolar. Algo que contribui para a formação crítico-reflexiva do docente ao passo que possibilita o mesmo fugir das amarras do livro didático e torná-lo capaz de elaborar seu próprio recurso didático-pedagógico, necessário ao processo de ensino-aprendizagem, em particular, aquele destinado ao ensino de lugares específicos.
Em se tratando da formação inicial docente na perspectiva do professor crítico-reflexivo, essa investigação põe em evidência as disciplinas de Laboratórios de Ensino em Geografia (LEGs).1Tais disciplinas são componentes curriculares obrigatórios do currículo do curso de Licenciatura em Geografia da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS) instituídas obedecendo à determinação prevista na Resolução CNE/CP 2, de 19 de dezembro de 2002, a qual estabeleceu como carga horária mínima de 400 horas destinada a Prática como Componente Curricular(BRASIL, 2002).
No curso de licenciatura em Geografia da UEFS essas 400 horas foram distribuídas em seis LEGs, ofertados a partir do 3º semestre, e tem como uma de suas finalidades, desenvolver temas e atividades pertinentes à educação e ao ensino de nível fundamental II e médio, as quais subsidiam cinco estágios curriculares obrigatórios ofertados do 5º ao 8º semestre e que devem ser desenvolvidos em escolas públicas, conforme explícito no Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura e Bacharelado em Geografia (PP, 2005).
De acordo com PP, os LEGs objetivam proporcionar o processo de reflexão-ação-reflexão da prática docente, aliando teoria e prática, por meio da simulação de aulas e produção de recursos didáticos para o ensino de geografia no ensino fundamental e médio. Entretanto, dada à importância de uma formação docente que contribua para que os futuros professores reconheçam os saberes prévios e o cotidiano dos estudantes, assim como tenham 

autonomia, consciência e segurança para pesquisar, desenvolver e inserir seus recursos didáticos, metodologias de ensino e atividades que envolva a realidade local dos estudantes, seja em sala de aula ou por meio de saída de campo. Na tentativa de tornar o processo de ensino-aprendizagem menos abstrato, mais dinâmico, atraente e significativo que questiona-se: Como os docentes que lecionam nos LEGs o percebem como componente curricular do curso de Licenciatura em Geografia da UEFS? Qual a concepção teórico-metodológica que guia a elaboração dos recursos didáticos? O que professores e licenciandos dos LEGs da UEFS entendem por recursos didáticos? Entre os recursos didáticos produzidos, existe alguma preocupação com o estudo de Feira de Santana?
Tais questionamentos são pertinentes, pois defende-se que a produção dos recursos didáticos também deva estar voltada para a realidade local, bem como tenham como norte a metodologia da pesquisa colaborativa que resulte de diálogos com os docentes da escola básica, para que haja uma aproximação mutua entre os conhecimentos produzidos nas escolas e na universidade. Isso porque, por mais que os licenciados tenham saberes prévios das necessidades infraestruturas e pedagógicas das escolas do período que foram estudantes do ensino fundamental e médio. Contudo, pressupõe-se que não possuem experiência/vivência na educação básica enquanto professores. Dessa forma, como saberão as reais necessidades com relação à produção e/ou utilização dos recursos didáticos em sala de aula?
Na perspectiva, de buscar respostas a tais questionamentos, a presente pesquisa estabeleceu como objetivo geral analisar a abordagem teórico-metodológica, desenvolvida nos LEGs, para a produção de recursos didáticos pedagógicos e verificar quais desses são voltados para o ensino do lugar Feira de Santana. Por objetivos específicos almejou-se: compreender a intencionalidade dos LEGs enquanto componente curricular do Projeto Pedagógico do curso de Licenciatura em Geografia da UEFS; analisar a concepção que os docentes que lecionam os LEGs possuem sobre o mesmo e; catalogar, na „Sala do Laboratório de Ensino em Geografia‟, os recursos didáticos desenvolvidos por educandos do curso, bem como analisar a potencialidade destes recursos didáticos para o ensino do Lugar Feira de Santana.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.