OLHARES FOTOGRÁFICOS, MEDIAÇÕES E EXPRESSÕES DO LUGAR: EXPERIMENTAÇÕES COM ALUNOS DO ENSINO BÁSICO DE FEIRA DE SANTANA- BA

Camila Machado Paim

Resumo


Este plano de trabalho teve por finalidade compreender a formação do conceito de
lugar por alunos do ensino fundamental II, de escolas públicas de Feira de Santana, através da
educação do olhar e produção de fotografias como recurso didático-pedagógico. Para tanto,
promoveu-se atividades de intervenção em uma escola básica da rede pública, localizada no
município de Feira de Santana-BA, que atende ao público do 6ª ao 9ª ano do ensino
fundamental II, a faixa etária dos alunos está entre 10 e 15 anos de idade.
Cabe salientar que foi necessário fazer duas intervenções, entre o ano de 2016 e 2017,
com turmas do 6ª ano, visto que na primeira não foi possível atingir os objetivos propostos
nesse plano de trabalho, pois não foi realizada a oficina de fotografia por conta do tempo
curto disponibilizado pela escola. Este plano foi desenvolvido em conjunto com o plano de
trabalho: “Narrativas autobiográficas sobre o lugar: significação e construções de saberes,
vivências e afetividades de alunos da educação básica de Feira de Santana - BA”.
A primeira intervenção ocorreu quase no final do ano letivo durante três dias no final
do mês de novembro e início de dezembro, a turma escolhida foi uma do sexto ano, com 20
alunos com idade entre 11 a 15 anos. É importante destacar, que dois alunos são portadores de
necessidades especiais e, portanto, as atividades precisaram ser diferenciadas, principalmente
na aplicação do questionário (sendo utilizados desenhos para responder algumas questões),
esses alunos também deixaram de produzir a fotografia visto que precisavam do auxílio das
famílias de ambos e não houve colaboração neste sentido. Na primeira etapa, foi levantado,
inicialmente, o conceito prévio dos alunos sobre o lugar e foi aplicado um questionário. Já na
segunda etapa, foi reforçado o conceito de lugar, a partir das concepções de autores como
Carlos (1995) e Tuan (1983), além de fotografias de diferentes lugares. Sendo que esses
autores discutem o lugar na perspectiva do espaço vivido pelo sujeito.E por fim, na terceira
etapa, foi realizada uma “exposição” com as fotografias e textos trazidos pelos alunos, onde
puderam falar sobre o que para eles constituía-se um lugar através das suas produções, e
também, sobre o que foi apreendido durante os dois dias da intervenção.
A segunda intervenção aconteceu no ano de 2017, e novamente com uma
turma do sexto ano, com 17 alunos de idade entre 11 a 14 anos, dentre estas, mais uma vez
encontramos duas alunas portadoras de necessidades especiais, indicando a escola como um
espaço inclusivo. As atividades foram desenvolvidas em quatro dias com quatro etapas. A
mesma, seguiu os passos da intervenção anterior, com o diferencial do desenvolvimento da
oficina de fotografia na terceira etapa.Assim, discutiu-se a fotografia e a construção do olhara
partir de conceitos de autores como: Dubois (1993), Samaim (2005)
fotografia como servidora da memória
e Alves (2012) discute o olhar, ou melhor
fotografia.Ainda nesse encontro foi
seus lugares como o intuito de montarmos um
quarta etapa realizou-se a exposiçã
MATERIAIS E MÉTODOS
Para que esse projeto fosse desenvolvido utiliz
o projeto de pesquisa "Lugar: Formação Docente e Elaboração de Material Didático
Pedagógico Sobre Feira de Santana/BA", pesquisa de caráter qualitativo e colaborativo.
Assim as seguintes atividades desenvolvidas no decorrer
bibliográfico sobre os temas chave
Discussão teórica com grupo
produção das fotografias e discussão do olhar atrav
fotografias por parte dos alunos;Sistematização e interpretação dos dados;Análise dos
resultados obtidos para: auto avaliação/reflexão
de eventos e publicação dos resultados
RESULTADOS
Apresentam-se a seguir uma s
produzidas com análise nas duas intervenções respectivamente
Turma 1- A partir das respostas do questionário observ
compreendiam lugar como espaço, ambiente, ligados ao lazer ou segurança, aparentemente
sem muita relação com eles. Apenas
Observou-se também que nenhum deles apont
relatarem, na sua maioria que relaciona
análise das fotografias (figura 1), produzidas foi possível observar que o conceito de lugar
mudou principalmente, no que se refere
lugar após as discussões em sala de aula.
relações, não algo abstrato.
Figura 1. Mosaico das fotografias produzidas pelos sujeitos pesquisados
que procura definir a
abarcando a relevância do conteúdo contido na mesma
melhor, o saber olhar com qualidade, no caso especial da
inda solicitado a produção de uma fotografia (cada um) sobre
painel para a exposição na aula seguinte.
exposição com as fotografias dos alunos.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.