UMA CARTOGRAFIA DOS LIVROS DIDÁTICOS COM TEORIAS MODERNAS DA MATEMÁTICA DO INSTITUTO DE MATEMÁTICA E FÍSICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA (1960-1968)

Thalia de Jesus da Silva

Resumo


A pesquisa de iniciação científica objetivou fazer uma cartografia dos livros didáticos com teorias modernas da matemática que foram apropriados, produzidos e difundidos no Instituto de Matemática e Física (IMF) da Universidade Federal da Bahia (UFBA) no período de 1960 – ano de sua criação – a 1968 - quando foi criado seu Curso de Pós-Graduação em Matemática, ampliando, dessa forma, o acervo de sua Biblioteca. Essa investigação fez parte do Projeto de Pesquisa intitulado “As teorias modernas da matemática nos livros didáticos das instituições educacionais superiores e secundárias brasileiras e baianas”, que “[...] investiga anatomicamente, numa perspectiva histórica, as teorias modernas da matemática nos livros didáticos apropriados, produzidos e difundidos no ensino superior e secundário brasileiro, em especial na Universidade de São Paulo (USP) e na Bahia, no período que se inicia em 1934, com a criação da USP e de sua Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras, quando então houve a inserção sistematizada das teorias modernas da matemática no ensino superior, até aproximadamente 1976, quando no Brasil se acentuaram as críticas à inserção da matemática moderna no ensino secundário, com uma significativa retração desta inserção.” (LIMA, 2013, [n.p.]). O termo anatomicamente foi utilizado no sentido de dissecar as teorias modernas da matemática, isto é, ter um olhar voltado para o seu processo de constituição, institucionalização, perpassando por concepções de matemática e de seu ensino, até os embates de abordagens (geométricas e algébricas), cujas repercussões podem ainda hoje serem percebidas não apenas no ensino de matemática superior, mas também nas escolas básicas brasileiras (LIMA, 2013).
Essa matemática moderna, segundo Lima e Dias (2010), foi sendo constituída a partir do século XIX, provocando uma série de transformações, mudanças e inovações englobando a sua profissionalização, disciplinarização, especialização, unificação e generalização de seu método científico. De acordo com Lima et al (2010, [n.p.]), nesse âmbito, “[...] surgiram novas álgebras, novos espaços, teoria dos conjuntos, novas logicas, novas axiomáticas e a aritmetização da análise [...] [os quais] estimularam, em certo sentido, a ampliação do campo de trabalho da matemática com a produção de novos objetos de estudos.” Em particular, a introdução da matemática moderna no ensino secundário da matemática ocorreu em dois momentos, sendo que a segunda reformulação, foco de minha atenção, ocorreu na segunda metade do século XX em países europeus e americanos, especialmente nos Estados Unidos, nos quais foi desenvolvida a ideia de reformulação no ensino secundário de Matemática, reformulação essa que posteriormente ficou conhecida como Movimento da Matemática Moderna (MMM). O objetivo dessa reforma foi modificar os currículos do ensino secundário de Matemática e introduzir novos métodos de ensino visando uma aproximação do ensino de matemática a nível superior.
Em particular, a minha pesquisa foi realizada na Biblioteca Universitária de Ciências e
Tecnologia Omar Catunda1 da Universidade Federal da Bahia (UFBA), inaugurada em 02 de
agosto de 2016, abrigando, entre outros acervos, o da matemática, que antes fazia parte da
Biblioteca Universitária Reitor Macedo Costa, também da UFBA. Nela, consegui localizar os
livros didáticos de matemática, que correspondiam os documentos históricos dessa minha
pesquisa.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13102/semic.v0i21.2484

Apontamentos

  • Não há apontamentos.