REDES, SERVIÇOS DE SAÚDE E CIDADES PEQUENAS NO TERRITÓRIO DO SISAL.

Géssica de Oliveira Santos

Resumo


Com base em Webster, (2002), as redes de serviços foram constituídas com intuito de sistematizar os serviços de saúde para o benefício de populações em determinada área. Contudo, os serviços de saúde constituíram-se como um importante parâmetro para caracterizar a dinâmica espacial das cidades pequenas do Território do Sisal, diante dos serviços oferecidos do setor público e privado e a relação entre os fluxos e fixos na reorganização das Cidades Pequenas do Território do Sisal.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. DATASUS. Tipo de Estabelecimento. Disponível em: Acesso em: 22 de Fevereiro 2017.

BRASIL. Conselho Nacional de Secretários de Saúde. A Atenção Primária e as Redes de Atenção à Saúde. Conselho Nacional de Secretários de Saúde. Brasília: CONASS, 2015. 127 p.

FARIA, R. V. A territorialização da atenção primária à saúde no sistema único de saúde e a construção de uma perspectiva de adequação dos serviços aos perfis do território. Hygeia, Florianopolis, v.9, n.16, p. 131 – 147, Jun/2013.

OLIVEIRA, N. R. C. UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO. UNA-SUS. Redes de Atenção à Saúde: a atenção à saúde organizada em redes. São Luís: EDUFMA, 2016. 54f.

PEREHOUSKEI, N. A. et al. A organização dos serviços de saúde na práxis territorial. Sociedade e Território, Natal, v. 27, nº 1, p. 101-116, 2015.

DIAS, L. C. Redes: emergência e organização. In: CASTRO, I. E.(Org) et al. Geografia: conceitos e temas. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1995. p.141 - 162.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.