EFEITO DO HORÁRIO DE COLETA SOBRE A VIABILIDADE POLÍNICA EM Physalis peruviana

Alismário Leite da Silva

Resumo


A Physalis peruviana L. é a espécie mais conhecida do gênero Physalis. O seu centro de origem e diversificação, provavelmente, encontra-se nos Andes Sulamericanos, principalmente, na Colômbia, Peru e Equador (MEDINA, 1991). Posteriormente esta espécie foi introduzida na África e Índia, onde se verificou a existência de mais de 80 ecótipos em todo o mundo (GONZÁLEZ et al., 2008). Esta espécie é conhecida popularmente como Uchuva e se destaca dentro do gênero Physalis em decorrência da produção de seu fruto que é amplamente comercializado em diversos países como no Equador, China, África do Sul, Nova Zelândia, Austrália, Kenia, Havaí, Índia, Malásia e Colômbia que atualmente é considerada a maior produtor (NOVOA et al., 2006). Seu fruto é exótico e possui sabor adocicado, com bom conteúdo de vitaminas A e C, minerais como Fe e P, além de inúmeras propriedades medicinais (CHAVES et al., 2005). Suas flores são solitárias, pedunculadas e hermafroditas, derivam da axila dos ramos e estão constituídas de uma corola amarela em forma tubular com uma mancha roxa na base das pétalas. A floração dura aproximadamente três dias. Na Physalis peruviana prevalece a alogamia, em que as flores são facilmente polinizadas pelos insetos e por ventos, apresentando também autopolinização (LAGOS et al., 2008). A viabilidade do pólen é um parâmetro de grande importância no estudo de plantas, pois além de evidenciar a potencialidade reprodutora masculina da espécie, contribui em estudos taxonômicos, ecológicos, palinológicos, fornecendo informações básicas para a aplicação prática na conservação genética, bem como na agricultura, para o planejamento de algum tipo de melhoramento ou cultivo (ALEXANDER, 1980; GUINET 1989). Segundo Souza et al. (2002), a viabilidade e a germinabilidade polínica constituem-se em fatores importantes para o melhoramento de plantas, pois em algumas espécies cada grão de pólen leva consigo os materiais genéticos resultantes da recombinação, fazendo com que estas plantas transmitam à próxima geração genótipos amplamente diversificados, tamanha a probabilidade de diferentes combinações entre os alelos que ocorre na meiose. Sendo assim, o presente trabalho teve como objetivo avaliar a taxa de fertilidade da planta, ao longo do dia, a fim de determinar o horário com maior disponibilidade dos grãos de pólen viáveis em Physalis peruviana.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13102/semic.v0i21.2652

Apontamentos

  • Não há apontamentos.