ANÁLISE AMBIENTAL E PROCESSO DE DESERTIFICAÇÃO NO SERTÃO SEMIÁRIDO: EXPLICAÇÃO A PARTIR DOS DADOS SOCIOECONÔMICOS

Carine Fonseca Menezes Silva

Resumo


O texto tem por objetivo analisar o processo de desertificação no sertão semiárido, especificamente Pólo de Jeremoabo, tendo como referência os dados socioeconômicos, especialmente o Produto Interno Bruto (PIB) e o Rendimento Médio Mensal.
A Região Nordeste ocupa aproximadamente uma área de 1.556.000 km² do território nacional, e caracteriza-se pela diversidade socioambiental decorrentes das condições naturais, apresentando clima tropical úmido, tropical subúmido, e semiárido. O sertão é uma sub-região do Nordeste, ocupando aproximadamente 11,5% da extensão territorial do país, e devido à relação sociedade-natureza, associado ao baixo nível técnico aplicado as práticas agrícolas, diversas áreas encontram-se suscetíveis ao processo de desertificação. Sendo assim, torna-se necessário o desenvolvimento de pesquisas relacionadas a problemática regional, pois o Nordeste abriga aproximadamente 30% da população do país, levando a Ab’Saber (2003) afirmar que o Brasil detém o semiárido mais povoado do mundo.
A finalidade do resumo é oferecer informações acerca da problemática da desertificação do sertão e semiárido baiano, a partir dos dados obtidos durante a pesquisa de iniciação científica, tendo em vista a explicação acerca dos discursos socialmente construídos que criam um imaginário social sobre essa sub-região, onde esse espaço é caracterizado como o território da seca, da pobreza, e da exclusão social.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13102/semic.v0i20.3185

Apontamentos

  • Não há apontamentos.