Efeitos do Xilitol associado a produtos fluoretados na desmineralização e remineralização do esmalte dental, uma revisão sistemática

Carlos Sampaio de Santana Neto

Resumo


As lesões de cárie dentária mostram-se como uma das afecções de maior prevalência na cavidade bucal. A cárie é considerada uma doença complexa, polimicrobiana, uma disbiose (CRUZ et al., 2017). Compostos fluoretados são usados com o objetivo reduzir a progressão da desmineralização dental, em situações de pH crítico em que há presença de flúor, uma certa parte deste mineral é reposta na apatita formando a fluorapatita (BARATIERI, 2002).
O Xilitol, um adoçante natural não fermentável utilizado em diversos produtos industrializados, na odontologia é utilizado para atuar no lado patológico da cárie através da diminuição da formação do biofilme dental e sua acidogenicidade (STECKSÉN-BLICKS; HOLGERSON; TWETMAN, 2008). Devido a suas características químicas sobre o biofilme dental, esta substância vem sendo pesquisada em associação à produtos fluoretados na tentativa de aumentar a remineralização ou reduzir a desmineralização dental em situações de alto desafio cariogênico, onde o pH do biofilme encontrasse abaixo de 4,5.
Elias, Pinzan e Bastos, (2006) consideram está associação um recurso promissor para a saúde bucal, quando mantidas sobre instrução e motivação em higiene bucal. Este trabalho tem como objetivo identificar através de uma revisão sistemática a literatura presente nas bases de dados PubMed, Lilacs e Cochrane e responder a seguinte pergunta: há evidência científica que suporte o uso clínico da associação de produtos fluoretados ao xilitol?


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.