EFEITO DE DIFERENTES MÉTODOS DE EXTRAÇÃO SOBRE O TEOR DE COMPOSTOS FENÓLICOS DAS FOLHAS DE Ananas comosus var. erectifolius

Diego Mota da Costa

Resumo


A família Bromeliaceae é de grande predominância no Brasil e apresenta cerca de 40% do total de espécies, sendo 40 gêneros registrados no território nacional. A espécie mais comum é o Ananas comosus (L.) Merr., conhecido como abacaxi, uma das frutas tropicais mais consumidas mundialmente. Comumente, algumas das plantas desta família são utilizadas para tratamento de diversas afecções, como: bronquites, aftas, tosses e inflamações em geral. Além de existir relatos da presença de bromelina, proteases de cisteína, metabólitos secundários como: triterpenos, esteroides, flavonoides, gliceróis, derivados do ácido cinâmico, entre outros (MANETTI, 2009).
Dentre alguns constituintes, se encontram os compostos fenólicos, que são amplamente distribuídos nas plantas e incluem diversas subclasses cuja principal atividade farmacológica estudada é a propriedade antioxidante. Dessa forma, os mesmos podem proteger os tecidos dos radicais livres formados naturalmente no próprio metabolismo, já que os fenólicos têm a capacidade de sequestrar esses radicais. Portanto, de forma a aprofundar o conhecimento sobre essas substâncias, as pesquisas em torno de espécies que as contenham se tornam muito importantes no desenvolvimento de novos produtos. Devido à grande importância dos compostos fenólicos, vêm se buscando a melhor forma de extração, no qual se obtenha a maior e mais variada quantidade desses compostos.
Dessa forma, o trabalho teve como objetivo comparar a constituição química da Ananas comosus var. erectifolius por diferentes formas de extração, através de técnica espectofotométrica.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13102/semic.v0i22.3825

Apontamentos

  • Não há apontamentos.