INFLUÊNCIA DO MÉTODO HANDS-OFF NA INTEGRIDADE PERINEAL, PROBLEMAS PUERPERAIS E NEONATAIS

Maria Alice Leony de Paiva

Resumo


Em decorrência do trauma perineal no parto vaginal, como a laceração perineal e episiotomia, as mulheres ficam sujeitas a diversas morbidades como dor perineal, sangramento aumentado, disfunções intestinais, urinárias e piora na função sexual em relação àquelas que não sofreram esse agravo durante o parto¹.
Diante disso, surgiram os métodos de proteção perineal que são empregados para reduzir o risco de trauma perineal. Esses métodos são: a posição materna no período expulsivo do parto do tipo não litotômica, massagem perineal, compressas quentes, método hands-on e hands-off 2.
Um estudo randomizado controlado, realizado no Iran com 600 nulíparas divididas igualmente entre dois grupos hands-on e hands-off, os traumas de terceiro grau foram superiores no grupo hands-on com 2,7% em comparação com 0,3% (p=0,1) no hands-off. A episiotomia também foi superior no grupo hands-on com 12,7% (38 mulheres) e 5,7% (17 mulheres) no hands-off 3.
Um outro estudo randomizado controlado também mostrou que no método hands-on a ocorrência de lacerações perineais de terceiro grau (2,7%) e episiotomia (17,9%) foi maior quando comparado ao hands-off com 0,9% e 10,1% respectivamente4. Por isso, uma postura expectante (hands-off) pode ser preferível a uma postura ativa, ou seja, hands-on3. Poucos ensaios clínicos randomizados sobre tais método incluem número suficiente de parturientes e com boa qualidade metodológica.
Por isso, sugere-se que o método hands-on não deve ser usado rotineiramente porque interfere no curso do mecanismo do parto, e que a decisão de utilizar esses métodos seja tomada pela mulher, respeitando sua autonomia neste processo5.
O método hands-off no parto vaginal oferece mais vantagens para a saúde materna, diante da menor taxa de episiotomia e laceração de terceiro grau, sendo por isso um método mais seguro. Porém, mais estudos são necessários para avaliar a segurança e eficácia desses métodos, bem como os fatores que contribuem para a ocorrência do trauma perineal durante o parto3.
Diante desse contexto, este estudo tem como objeto de investigação a influência do método hands-off durante o parto vaginal na ocorrência de traumas e suturas perineais e problemas puerperais. Ao realizar o levantamento do estado da arte foram encontrados 17 artigos relacionados ao objeto em estudo. Percebeu-se que poucos estudos brasileiros abordam a utilização dos métodos hands-on e hands-off durante o processo parturitivo.
Esse estudo teve como objetivo geral verificar a influência do método hands-off na ocorrência de trauma e sutura perineal, e problemas locais em mulheres com parto vaginal em uma maternidade pública de Feira de Santana na Bahia, e objetivos específicos: avaliar a taxa de ocorrência e local do trauma perineal conforme o tipo de método utilizado no parto vaginal,
para recepção do recém-nascido; analisar a associação entre os métodos hands-on e hands-off com a ocorrência e local de trauma perineal no pós-parto imediato; verificar a associação entre o método hands-on e hands-off com a necessidade de sutura perineal e verificar a associação entre os métodos hands-on e hands-off com a ocorrência de problemas puerperais.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13102/semic.v0i22.3870

Apontamentos

  • Não há apontamentos.