Estudos taxonômicos em Agarista coriifolia (Thunb.) Hook. ex Nied e espécies relacionadas (Ericaceae, Lyonieae): avaliação envolvendo caracteres macro e micromorfológicos

Ariadne de Aráujo Sampaio

Resumo


A família Ericaceae é representante do clado das Asterídeas, ordem Ericales (APG 2016). Apresenta distribuição cosmopolita, com cerca de 124 gêneros e 4.100 espécies, e é encontrada frequentemente em áreas tropicais e temperadas, habitando áreas ensolaradas e de solo ácidos (Souza & Lorenzi 2012). No Brasil ocorrem 12 gêneros e 99 espécies, dois eles encontrados na Bahia (Agarista D.Don ex G.Don e Gaylussacia Kunth), com ca. 19 espécies e 13 variedades. Ambos são ocorrentes na Bahia, encontrados ao longo da Chapada Diamantina, especialmente em áreas de campos rupestres (Sampaio e Oliveira 2017).
Agarista está inserido na tribo Lyonieae, subfamília Vaccinioideae (Romão, 2011) sendo registradas 21 espécies desse gênero no Brasil, a maioria em campos rupestres da Cadeia do Espinhaço (Romão & Souza, 2014). Estudos anteriores realizados por Sampaio & Oliveira (2017) indicaram a ocorrência de seis espécies e um morfotipo desse gênero
na Chapada Diamantina, cujos aspectos morfológicos não concordavam com nenhuma das referidas espécies, algumas delas com limites confusos, necessitando de reavaliação taxonômica.
Assim, o presente trabalho teve como objetivo principal analisar mais detalhadamente a identidade taxonômica de espécies de Agarista ocorrentes na Chapada Diamantina, especialmente de A. coriifolia (Thunb.) Hook. ex Nied, afim de reavaliar a existência de novos caracteres que auxiliem na delimitação das mesmas, tanto do ponto de vista macro quanto micromorfológico.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13102/semic.v0i22.3900

Apontamentos

  • Não há apontamentos.