MODELAGEM AMBIENTAL NA ANÁLISE DA DESERTIFICAÇÃO NO ESTADO DA BAHIA: UMA ABORDAGEM NO CONTEXTO AMBIENTAL DE CANUDOS E JEREMOABO

Anderson de Jesus Pereira

Resumo


O processo de degradação das terras secas tem origem remota e a ele está associada a decadência de civilizações antigas, como os sumérios e babilônios (HARE et al., 1992).
No entanto, a aplicação do termo desertificação nos meios técnicos e científicos decorreu no ano de 1949, quando o francês Aubreville o associou aos danos ambientais ocasionados pela apropriação humana dos recursos ambientais das regiões secas da África. Nos anos subsequentes, prosseguiram os debates em nível mundial a respeito da problemática e, durante a II Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento Humano (Rio-92), realizada na cidade de Rio de Janeiro (RJ), em 1992, conceituaram o processo como: “degradação da terra em regiões áridas, semiáridas e subúmidas secas, resultante de diversos fatores, entre eles a variação climática e as atividades humanas” (UNITED NATIONS, s.p, 1997).
Os processos de degradação incluem alterações físicas, químicas e biológicas nas propriedades do solo e nos processos edáficos, que conduzem a uma redução da qualidade do solo como recurso (GOMEZ & BERMÚDEZ, 2010). A teia de relações processuais da erosão é considerada uma das maiores causadoras da degradação do solo no mundo, além de estar altamente associado ao abandono de terra e o desenvolvimento da desertificação (KOSMAS et al., 2010; VALENTIN et al., 2005).
Ver-se, com isso, que o processo de erosão se encontra entre aqueles que causam problemas graves nas terras secas, principalmente quando a intensidade dele é superior à considerada normal (NASCIMENTO, 2013; HARE et al., 1992). Ela é denominada erosão acelerada a partir do momento em que gera degradação ambiental, com graves consequências, por gerar problemáticas para o meio ambiente e para o desenvolvimento das atividades humanas, tão comuns nas áreas desertificadas. Nesse contexto, em uma perspectiva de contribuir com as discussões científicas sobre o processo de degradação das terras localizadas no semiárido brasileiro, objetivou, neste estudo, mapear a vulnerabilidade ambiental dos solos à erosão nos municípios de Canudos e Jeremoabo-BA, para discorrer sobre elementos relacionados à desertificação.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13102/semic.v0i22.3901

Apontamentos

  • Não há apontamentos.