A INTEGRAÇÃO DA AGRICULTURA FAMILIAR COM ECONOMIA POPULAR E SOLIDÁRIA: UMA ANÁLISE DO PROCESSO DE AQUISIÇÃO NO PROJETO CANTINA SOLIDÁRIA I

Angelica Correia Lopes

Resumo


A pesquisa insere-se no âmbito da Economia Popular e Solidária, ora apresentada como proposta de experiências que permitem a construção de um espaço pensando para além de uma visão econômica na busca de geração de trabalho e renda, tendo como alicerce a inclusão social dos sujeitos, levando em conta a sustentabilidade, o uso dos recursos naturais e conscientização ambiental.
Dentre os diversos formatos de iniciativas da economia popular e solidária, que se apresentam tanto no âmbito do campo como da cidade, onde compreende trabalhadores organizados coletivamente, têm-se: associações, grupos produtivos, cooperativas de agricultura familiar, redes de produção, comercialização e consumo, clubes de troca, bancos comunitários, cooperativas de crédito, fábricas recuperadas pelos trabalhadores. E em se tratando de tais grupos, as incubadoras universitárias tem desenvolvido um papel importante, de fornecer suporte para o seu desenvolvimento, fortalecimento e produção do conhecimento.
No que diz respeito à comercialização-base econômica para a geração de renda para o grupo, segundo Padilha Júnior (2006) “[...] entende-se por comercialização o desempenho de todas as funções ou atividades envolvidas na transferência de bens ou serviços do produtor ao consumidor final.” O processo de comercialização ocorre desde o tempo mais antigos, com a prática do escambo que eram baseados em trocas naturais onde às partes decidiam livremente a quantidade de produtos que poderiam envolver as suas negociações. Com o aumento da população e áreas urbanas o processo de comercialização foi se aprimorando ao longo dos anos para poder atender a demanda dos consumidores.
Ao se tratar de comercialização de produtos regionais e desenvolvimento local o fortalecimento através de redes na própria comunidade, e cantina/comunidade se faz importante, pois a comercialização de alimentos da comunidade evidencia o desenvolvimento local, na medida em que os agricultores, principais responsáveis pelo crescimento dessa prática, e então, são visivelmente envolvidos no processo de produção de alimentos. Onde as matérias primas para elaboração dos alimentos são oriundas do local em que vivem, colocando em prática a valorização e fortalecimento da identidade do seu lugar.
Desta forma, o presente trabalho faz uma abordagem da execução do plano de pesquisa em iniciação científica durante o ano de 2017/2018 trazendo uma abordagem do período de agosto de 2017 até julho de 2018, distribuído em: metodologia, resultados e discussões além das considerações finais, buscando ampliar a integração entre pesquisa e extensão, o trabalho teve como objetivo discutir a articulação entre a Agricultura Familiar e Economia Popular e Solidária no processo de aquisição no Projeto Cantina Solidária III, na perspectiva do desenvolvimento local.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.