O conceito de experiência em Donald Woods Winnicott a partir da Teoria de Walter Benjamin

Alinne Gomes de Almeida Souza

Resumo


Esse trabalho investigou a possibilidade de uma leitura do conceito de experiência (Erfarhrung) de Walter Benjamin na teoria dos fenômenos transicionais de Donald Winnicott. Conforme já demonstrado por Sekkel (2016), o brincar se torna a confluência entre Benjamin e Winnicott enquanto um potencial criativo e transformador da realidade. A compreensão benjaminiana da brincadeira ocorre a partir do jogo de semelhanças (BENJAMIN, 1986) em que a criança dialoga e transforma a cultura ao "utilizar areia como material para brincar de padeiro", por exemplo. Ao tentarmos estabelecer um diálogo entre esses dois autores percebemos a semelhanças quanto a ideia de criatividade através da concepção temporal de Benjamin, possível de ser descrita na dinâmica dos fenômenos transicionais. A brincadeira enquanto principal atividade localizada em um área intermediária - entre a realidade subjetiva e a realidade objetiva da criança- e instauradora de uma outra dinâmica espaço-temporal, representa a condição da criatividade nos dois autores, principalmente no que diz respeito a capacidade de transformar contextos. Além disso, foi possível analisar o sentimento de vontade e autonomia como elementos fundamentais da ação criativa. Por isso esse trabalho é relevante para compreender as transformações de regras e valores no cotidiano das brincadeiras infantis e tem relevância para os estudos sobre a educação para os direitos humanos.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.