AVALIAÇÃO DO FORNECIMENTO DE MATÉRIAS PRIMAS DAS CANTINAS SOLIDÁRIAS DA UEFS: ESTUDO DE CASO DA AQUISIÇÃO AO ARMAZENAMENTO

Geisiane dos Santos Silva

Resumo


A Economia Popular e Solidária vem ganhando espaço no cenário atual, devido à integração de uma classe menos favorecida que têm buscado alternativas de fonte de trabalho e renda e os espaços de produção de alimentos tem sido um dos maiores agregadores produtivos em relação aos saberes e conhecimentos locais referentes à cultura da alimentação local e regional por via da produção associada. Segundo Singer (2008), essa economia cooperada e associada surge como uma nova forma de organização econômica e de luta contra o desemprego e a exclusão social, que se opõe as formas competitivas, individualistas e excludentes do sistema capitalista de produção. Diante da dificuldade de inserção ou restabelecimento no mercado de trabalho a solidariedade é uma das soluções, quando se trata de um conjunto de novos produtores autônomos que de forma coletiva buscam experimentar formas alternativas de organização da vida social e econômica.
Neste contexto, surge o processo de incubação de grupos ou iniciativas populares que é desenvolvido por incubadoras de iniciativas de outra economia, neste caso são incubadoras universitárias, que surgem a partir de uma conduta/ação diferente do que ocorre com a economia tradicional dentro das universidades. Onde é desenvolvido um processo de orientação educativo-politico-pedagógico com grupos informais, que visa estreitar a relação da comunidade externa com a universidade, conforme Pita (2015), através da pesquisa-ação.
A qualidade dos alimentos produzidos dentro da Instituição. Dentro dessa experiência As ações de pesquisa, extensão e diálogos diversos com as comunidades, povoados, quilombos, e outras perspectivas baseada nos princípios de relações solidárias, cooperação, autogestão, valorização dos produtos regionais e locais, que a Incubadora de Iniciativas da Economia Popular e Solidária (IEPS- UEFS) vem desenvolvendo, atuando em dois espaços de alimentação no campus central da Universidade Estadual de Feira de Santana, localizados nos módulo I e VII, que tem como principio a atividade de forma coletiva visando não apenas o lucro, mas equilíbrio na relação estreita entre trabalho/educação e qualidade de vida (PITA
et al 2015). Diante da alta rotatividade de pessoas e as refeições fora de casa tornaram-se uma prática cada vez mais constante, o crescimento do setor relacionado ao comércio de alimentos é significativo, e junto com este, a preocupação com a qualidade sanitária e nutricional dos alimentos e serviços oferecidos (SÃO JOSÉ, 2011).


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.