CONTRIBUIÇÕES DOS JOGOS E BRINCADEIRAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL DO CAMPO

Luciana Freitas de Oliveira Almeida

Resumo


O presente texto é resultado do plano de trabalho intitulado “Contribuições dos jogos e
brincadeiras na Educação Infantil do Campo”, que tem como objetivo fazer uma análise sobre
as contribuições dos jogos e brincadeiras na Educação Infantil do Campo de uma escola
municipal, de um distrito de Feira de Santana. Trata-se de um recorte do projeto de pesquisa
maior, vinculado ao Centro de Estudo e Documentação em Educação (CEDE) intitulado:
“Educação infantil na zona rural: caracterização e análise do cenário de implementação das
políticas de educação do campo no município de Feira de Santana”.
Este trabalho justifica-se porque os jogos e brincadeiras se fazem necessários para o
desenvolvimento da criança na Educação Infantil do Campo e não foi encontrada na literatura
pesquisada, uma investigação sobre esse tema com foco na escola do campo. Neste cenário a
questão de pesquisa que norteia é qual a contribuição dos jogos e brincadeiras na Educação
Infantil do Campo?
Ao pensar sobre o lugar que os jogos e brincadeiras ocupam dentro da Educação
Infantil do Campo, cabe retomar o ordenamento jurídico. A Lei de Diretrizes e Bases da
Educação Nacional, LDB 9.394/96, estabelece no Art. 28, a necessidade de adaptações na
oferta de educação básica para a população rural, considerando os conteúdos, metodologias,
organização escolar própria, adequação do calendário e a organização do trabalho pedagógico
à natureza do trabalho na zona rural.
Diante do exposto e compreendendo a importância do direito a educação para todos os
indivíduos do campo, em particular as crianças, é necessário salientar que a Educação Infantil
do Campo deve ser considerada com todas as suas particularidades, ressaltando a importância
da permanência na escola e as aulas precisam envolver as crianças com o prazer e o encanto
em aprender.
Nesse sentido, no artigo 29, da mesma Lei 9.394/96 no que diz respeito à Educação
Infantil fica estabelecido que a Educação Infantil, primeira etapa da educação básica, tem
como finalidade o desenvolvimento integral da criança, em seus aspectos físico, psicológico,
intelectual e social, complementando a ação da família e da comunidade (BRASIL, 1996). As
afirmações consideradas nestes artigos fomentaram a necessidade de ampliar o estudo em
torno do tema Educação Infantil do Campo e suas relações com a Educação Física. Isso
porque essa mesma lei no parágrafo 3º, do artigo 26 institui que a Educação Física, integrada
a proposta pedagógica da escola, é componente curricular obrigatório da educação básica
(BRASIL, 1996)


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13102/semic.v0i22.3968

Apontamentos

  • Não há apontamentos.