COMO OS PROFESSORES DE BIOLOGIA CONCEBEM A DIVERSIDADE CULTURAL: INFLUÊNCIAS PARA O DIÁLOGO INTERCULTURAL E PROPOSIÇÃO PARA A FORMAÇÃO DOCENTE

Maria das Graças de Santana Bispo

Resumo


Pensar a formação de professores para lidar com a diversidade cultural é também
pensar nas realidades escolares, que, em sua maioria, apresentam um público diverso,
oriundo de diferentes ambientes socioculturais e, consequentemente, com diferentes
formas de pensar e agir perante o mundo em que transita. Para Saviani (2008), é preciso
que a educação escolar não desconsidere a bagagem conceitual histórica e cultural dos
alunos, isto é, suas impressões e vivências acerca do mundo a sua volta. Os professores,
sejam de ciências ou de quaisquer outras áreas, precisam estar atentos para escutar e
considerar as vivencias e saberes culturais dos estudantes de maneira investigativa,
como estratégia para dar sentido aos conteúdos ensinados, pois, concordando com
Baptista (2014 p. 29):
A diversidade de culturas presente nas salas de aula constitui importante instrumento
para o ensino de ciências, na medida em que pode favorecer a compreensão dos
conteúdos científicos, seja estabelecendo relações de semelhanças e/ou de diferenças
entre esses conteúdos e os conhecimentos culturais dos estudantes.
O estabelecimento de relações entre modos de conhecer podem facilitar a
aprendizagem, melhorando a compreensão do conhecimento científico por parte dos
estudantes, para que se tornem cidadãos atuantes nas sociedades, sejam elas
cientificamente influenciadas ou não.
Portanto, nossa pesquisa teve por objetivo identificar quais as concepções que os
professores de biologia possuem acerca de questões que envolvem a diversidade
cultural presente nas salas de aula das escolas da região de Feira de Santana (BA) e
como essas concepções podem influenciar no diálogo intercultural entre os saberes
científicos e os saberes dos meios socioculturais dos estudantes.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.