ARMADILHAS FOTOGRÁFICAS COMO MÉTODO DE REGISTRO DE MAMÍFEROS DE MÉDIO E GRANDE PORTE NA SERRA DA JIBOIA, BAHIA

Bianca de Moura Calixto

Resumo


Mamíferos terrestres de médio e grande porte desempenham um importante papel em vários níveis da organização de um ecossistema, podendo ser destacados o controle populacional de suas presas, no caso das espécies carnívoras, e a constante regeneração das matas, no caso dos herbívoros (Emmons & Feer, 2005; AbreuJr. & Kohler, 2009; Sinclair, 2003; Tonhasca Jr., 2005); mamíferos maiores são importantes também por agruparem diversas espécies consideradas indicadoras ambientais, refletindo a preservação do local onde ocorrem (Mazzolli, 2006).
A presença e a abundância destes mamíferos em determinada localidade é afetada não só pela qualidade ambiental, mas também pelo fato de serem os principais alvos de atividades humanas como a caça ilegal (Cuarón, 2000). Apesar disto, mamíferos terrestres de médio e grande porte são pouco estudados devido às dificuldades referentes
ao seu registro; em muitos inventários as armadilhas utilizadas não permitem a captura de mamíferos maiores ou, mesmo que sejam utilizadas armadilhas grandes, o menor tamanho das populações destes mamíferos dificulta sua captura.
A instalação de armadilhas fotográficas na área estudada auxilia na obtenção de dados, uma vez que, é possível registrar mamíferos de médio e grande porte sem necessidade de capturá-los e consequentemente, causar perturbações e stress nos animais.
Desta forma, este plano de trabalho oferecerá informações adicionais ao inventário em relação às espécies registradas através da captura em armadilhas, sendo uma ferramenta complementar importante ao conhecimento mais completo das mastofaunas da Mata Atlântica baiana, especificamente na Serra da Jiboia.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.