INFLUÊNCIA DE TRÊS NÍVEIS DE LUMINOSIDADE NO DESENVOLVIMENTO VEGETATIVO DE PLANTAS DE PHYSALIS ANGULATA L.

David Santana Guimarães

Resumo


O gênero Physalis L (Solanaceae) se destaca por possuir espécies que apresentam grande potencial econômico, produzindo frutos com alto valor comercial, e medicinal, através da produção de substâncias de interesse farmacológico com diversas propriedades terapêuticas comprovadas, como vitaesteróides, fisalinas, flavonóides simples ou glicosilados, esteróides, ácidos graxos de cadeia linear, carotenóides, ácido ascórbico e alcalóides. (LORENZI & MATOS, 2008; TOMASSINI et al.,2000).
A Physalis angulata L. é a espécie de maior ocorrência no Brasil, onde também é popularmente conhecida como camapú, balãozinho ou juá-de-capote (LORENZI &MATOS,2008). Devido à potencialidade econômica que apresenta e por produzir frutos ricos em vitaminas A e C, além da presença de substâncias com atividades farmacológicas, a espécie vem despertando um grande interesse de consumidores e produtores (SILVA, 2007).
Vários fatores ambientais influenciam no desenvolvimento vegetal, incluindo as condições abióticas, dentre esses fatores a luz chama bastante atenção dos pesquisadores. A luz tem papel primordial para o crescimento das plantas, não só por fornecer energia para a fotossíntese, mas também, por fornecer sinais que regulam seu desenvolvimento através de receptores de luz sensíveis a diferentes intensidades (CARVALHO, 2004). As diferentes condições de luminosidade influenciam nos processos fisiológicos das plantas.
No Brasil, os estudos com o cultivo de Physalis angulata L. ainda são incipientes, portanto avaliar a influência da adubação nitrogenada em diferentes condições de luminosidade é de fundamental importância para a determinação das melhores condições de cultivo para espécie.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.