COMPOSIÇÃO QUÍMICA E ATIVIDADE ANTIMICROBIANA DAS FOLHAS DA ESPÉCIE Vatairea macrocarpa (BENTH) DUCKE

Byanka Silva Sena

Resumo


O gênero Vatairea é nativo do Brasil, porém pode ser encontrado em outras regiões como Guiana e regiões litorais atlânticas da América Central e do México. No Brasil as espécies do gênero Vatairea estão presentes nas regiões dos domínios fitogeográficos da Amazônia, Cerrado e Mata Atlântica, podendo ser encontradas neste país sete espécies desse gênero (Cardoso, 2012). A espécie Vatairea macrocarpa (Benth.) Ducke é típica do cerrado, campo cerrado e cerradões do Brasil, sendo conhecida popularmente como maleiteira, angelim-do-cerrado e como amargoso, devido ao chá da casca do caule ser amargo (Oliveira et al, 2008).
A resistência a drogas de patógenos humanos e animais é um dos casos mais bem documentados de evolução biológica e um sério problema tanto em países desenvolvidos como em desenvolvimento. A pesquisa de novos agentes antimicrobianos se faz necessária devido ao surgimento de microrganismos resistentes e de infecções oportunistas fatais, associadas a AIDS, quimioterapia antineoplásica e transplantes (Penna et al., 2001).
Em estudos anteriores do presente grupo de pesquisa, o extrato metanólico da espécie V. macrocarpa foi capaz de inibir o crescimento de Staphylococcus aureus com CIM de 350 μg.mL-1, Candida albicans com CIM de 600 μg.mL-1 e Candida parapsilosis com CIM de 170 μg.mL-1 apresentando um grande potencial como produto na busca de antimicrobianos (Valadares, 2014). Desta forma objetivou-se, com este trabalho, continuar as pesquisas com a espécie, prosseguindo com fracionamento e análise das frações mais ativas.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13102/semic.v0i22.3997

Apontamentos

  • Não há apontamentos.