Adsorção de Azul de Metileno em Casca de Laranja Modificada por Tratamentos Químicos

Larissa da Silveira Ferreira

Resumo


Os efluentes líquidos industriais, quando não tratados adequadamente, são uma das principais causas de contaminação da água, isso porque, eles podem apresentar em sua composição compostos orgânicos e inorgânicos, metais pesados, graxas, corantes e entre outras substâncias nocivas ao meio ambiente e aos seres humanos (CHAGAS, 2009),(BRITO, 2009). Em se tratando dos corantes, esses compostos são amplamente utilizados nas indústrias alimentícia e papeleira e quando presentes em rios e lagos causam alguns malefícios consideráveis, destacando-se o impedimento da penetração da luz (RIBEIRO et al, 2013). Além disso, grande parte dos corantes que são utilizados pelas indústrias apresentam características negativas que lhes são inerentes, tais como, a resistência à biodegradação, à fotodegradação e à ação de agentes oxidantes, devido a isso, diversos procedimentos comuns de tratamento de efluentes se apresentam ineficientes para este caso em particular. Um tratamento que se mostra eficaz na remoção de corantes em efluentes é a adsorção (PERINI et al, 2012).
Atualmente se tem como meta a procura por adsorventes de baixo custo, os quais apresentam as seguintes características: estão disponíveis em grande quantidade, adsorvem boa quantidade do componente desejado e a adsorção ocorre de forma rápida (BAZZO, 2015). A laranja está incluída no grupo de frutas que são mais produzidas em todo o mundo, com uma produção que excede 80 milhões de toneladas/ano, apresentando, portanto, a primeira exigência citada anteriormente aos adsorventes de baixo custo, logo, é viável a utilização da casca de laranja neste estudo, objetivando verificar a ocorrência das demais características necessárias (ALEXANDRINO, 2007).
Este trabalho pretende analisar a utilização da casca de laranja em adsorção de azul de metileno, que é uma molécula padrão em estudos de adsorção, com o objetivo de obter os parâmetros cinéticos e termodinâmicos do processo adsortivo.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13102/semic.v0i22.4022

Apontamentos

  • Não há apontamentos.