TRAJETÓRIA DE VIDA: O PROFESSOR CARLOMAN CARLOS BORGES E O ENSINO DA MATEMÁTICA NA REGIÃO DE FEIRA DE SANTANA (1968- 1980)

Leila Islânia de Oliveira

Resumo


Este estudo faz parte do projeto de pesquisa “Memórias da educação na Bahia em tempos de ditadura (1930 a 1985)”, desenvolvido pelo Núcleo de Estudos e Pesquisa em História da Educação (NUHEB). Para reconstituir a trajetória do professor Carloman Carlos Borges como pioneiro na difusão do ensino da Matemática em Feira de Santana e região, a partir da criação da Faculdade Estadual de Feira de Santana (FEEFS) foi necessário nos apropriarmos de alguns aspectos teóricos importantes no âmbito da história. Na concepção de Le Goff (1994, p.545) é muito importante que o historiador não seja desviado “do seu dever principal: a crítica do documento – qualquer que ele seja – enquanto monumento”. Porque para o autor: “O documento não é qualquer coisa que fica por conta do passado, é um produto da sociedade que o fabricou segundo as relações de forças que aí detinham o poder”. Posto que, considera que “só a análise do documento enquanto monumento permite à memória coletiva recuperá-lo e ao historiador usá-lo cientificamente, isto é, com pleno conhecimento de causa”.
Outro conceito importante para elaboração do meu trabalho é o conceito de memória. A Memória como conservação de dados que se configuram em uma identidade individual ou coletiva, de acordo com Le Goff (1994, p.423), “remete-nos a um conjunto de funções psíquicas, pelas quais o homem pode atualizar impressões ou informações passadas, ou que ele represente como passadas”. Para Nunes (2003, p. 5) “As memórias não são objetos. São experiências vividas interiormente o que as distinguem do conhecimento. Se o conhecimento só nos pertence de forma contingente, as memórias são indissoluvelmente nossas, fazem parte de nós e nos constituem”. E complementa: “Estamos no centro delas e só quando elas fazem conscientemente parte de nós podemos partilhá-las com outros”. (p. 5). Nunes (2003, p.13) diz que “arrumamos a memória de acordo com nossos sentimentos e crenças e realizamos um grande investimento para esquecer parte das nossas vivências, talvez até maior do que o esforço para mantê-las”.
Nesse contexto Le Goff destaca a importância da memória coletiva, “posta em jogo de forma importante na luta das forças sociais pelo poder”.
De posse desses referenciais, buscamos desenvolver o objetivo deste trabalho que foi estudar a trajetória histórica do professor Carloman e sua importância para o ensino da Matemática na Bahia, considerando o trabalho que ele desenvolveu em Feira de Santana. Nesse sentido, o presente estudo teve por objetivo reconstruir a memória e a história das atividades docentes do professor Carloman Carlos Borges, por meio de um documentário que se constituirá na materialidade de um outro tipo de acervo sobre o referido professor.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13102/semic.v0i22.4023

Apontamentos

  • Não há apontamentos.