Atividade antioxidante, fotoprotetora e composição química do pólen de Corymbia torelliana

Lucas Souza da Silva

Resumo


A química de produtos naturais tem por interesse isolar e identificar substâncias com efeito terapêutico e explorar a imensa biodiversidade do Brasil na busca de novos compostos bioativos que possam proporcionar cura de enfermidades ou melhora na qualidade de vida da população (Bolzani; Montanari, 2001). No Brasil, o uso de plantas como recurso terapêutico é bastante difundindo tanto nas zonas rurais quanto nas áreas urbanas e em grande parte foi influenciado pela tradição popular das culturas indígenas nativas, africana, asiática e europeia (Maciel et al., 2002). Sendo assim, o desenvolvimento de estudos com plantas medicinais e seus extratos são de grande relevância, considerando a possibilidade da utilização das substâncias ativas naturais como protótipos para o desenvolvimento de novos fármacos (Stein, 2011). A Corymbia torelliana pertencente à família Myrtaceae. Espécies dessa família distinguem-se por suas propriedades medicinais, como Eucalyptus globulus L., utilizado terapeuticamente para sinusite, gripe, congestão nasal; além disso indicações etnofarmacológicas apontam Myrciaria dúbia (Kunth) Mc Vaugh, como excelente fonte de vitamina C (Lorenzi; Matos, 2002). Constitui aproximadamente 100 gêneros e 3.500 espécies de arbustos e árvores, estas espalhadas por todo continente, sendo dominante nas regiões tropicais e subtropicais do mundo (Barroso, 1991). Assim, o presente trabalho teve como objetivo geral caracterizar a composição quimica e a atividade biológica do extrato bruto etanólico do pólen da espécie C. torelliana (F. Muell.), considerando a composição química dos extratos de pólen da C. torelliana através da análise do potencial antioxidante e fotoprotetor das amostras.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.