IMPORTÂNCIA DAS ESTRADAS VICINAIS PARA A MOBILIDADE RURAL EM FEIRA DE SANTANA (BA)

Luciana Correia Alcântara Matos

Resumo


Em áreas em que os estudos econômicos não justificam a construção de estradas pavimentadas, criam-se estradas vicinais, ou seja, estradas não pavimentadas caracterizadas por ter baixo fluxo de veículos. Esse tipo de via de pouca vida útil é predominante em todo o Brasil e normalmente são formadas por uma camada superficial do próprio solo local misturado com agregados e/ou material ligante (como a argila por exemplo). A cidade de Feira de Santana apresenta o principal entroncamento rodoviário do Norte-Nordeste brasileiro, e o segundo do Brasil, atrás apenas de São Paulo, além de ser um importante entreposto comercial e entroncamento das principais rodovias federais que passam pela Bahia: BR-101, BR-116 e BR-324 (CLM SUBAÉ, 2017). Por estar nessa posição estratégica, pode-se afirmar que o funcionamento adequado nos meios de mobilidade nesta cidade repercute não só na região, mas em todo o país.
Tendo em vista o caráter nacional do problema da má condição das estradas bem como sua necessidade na comunicação e desenvolvimento econômico-social, foi notada a importância de se desenvolver um estudo acerca da situação das estradas vicinais na região de Feira de Santana. Com o objetivo de identificar problemas e apontar soluções visando a melhor mobilidade de feirenses e viajantes.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.