EXTRAÇÃO E DETERMINAÇÃO DE ATIVIDADE DE PEROXIDASE DO RABANETE, ANALISANDO A INFLUÊNCIA DO ÍON POTÁSSIO

Natália Bispo Lima

Resumo


As peroxidases se destacam no cenário biotecnológico por serem encontradas em diversas fontes na natureza, não dependerem de cofatores e atuarem sobre um amplo número de substratos. Podem ser consideradas enzimas bifuncionais, pois catalisam a oxidação de uma ampla variedade de compostos por meio de peróxido de hidrogênio, mas também produzem espécie reativa de oxigênio (MOHAMED et al.,2011)
As peroxidases vegetais tem atraído considerável interesse de pesquisadores, pelo envolvimento dessas enzimas em diversas reações biológicas, como: reações de oxidação, processos de diferenciação celular, crescimento, controle de funções metabólicas e resistências a patógenos (GORTON et al., 1992).
O rabanete (Raphanus sativus L.) é uma Brassicaceae, da mesma família da Brassica oleracea (couve, brócolis, repolho e couve-flor), só que diferente destas a parte consumida é uma raiz tuberosa. Planta de porte reduzido, originária da região do mediterrâneo, produz raízes globulares de variadas colorações, sendo a coloração escarlate-brilhante com polpa branca a mais aceita pelos consumidores (FILGUEIRA, 2008).
O rabanete cresce na camada subsuperficial, dessa forma, o rendimento do rabanete pode ser influenciado diretamente pelas condições químico-físico-hídricas do solo. Considerando este fato o trabalho tem como objetivo conhecer a influência do íon potássio na atividade da peroxidase e no crescimento do rabanete in vitro, tendo em vista que os nutrientes fornecidos e a influência de diversos sais poderiam agir na atividade peroxidásica, na produção e qualidade do rabanete.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.