Estudo Ab-initio da supercondutividade do YH3

Joseane Santos Almeida

Resumo


Desde que a supercondutividade foi descoberta por Kamerling Onnes ao diminuir
bruscamente a temperatura do mércurio, compostos tem sido investigados na
expectativa de serem supercondutores de alta temperatura crítica(COSTA,2012).
Atualmente existem diversos elementos químicos que alcançam esta fase ao submetêlos
à pressão(DEBESSAI,2008).
Os resultados teóricos de N.W. Ashcroft(2004) sugeriram ainda que hidretos
submetidos a consideráveis pressões tem a possibilidade de tornarem-se
supercondutores de alta temperatura crítica. Sendo assim,numerosas investigações
foram feitas, dentre elas, para hidretos de tunsgêncio, niobium e ítrio(PATRYK,2012)
(GAO,2013)(LI, 2015).
O trihidreto de ítrio(YH3) possui uma gama de resultados experimentais e poucos
trabalhos téoricos que consentem na transição hexagonal isolante para cúbica metálica.
(ALMEIDA,2009). R. Ahuja et al., performando o cálculo DFT encontraram a fase
supercondutora do YH3 na sua estrutura cúbica em 17.7 GPa a 40K(KIM,2009). Ainda
existem debates sobre a estrutura desse cristal a temperatura e pressão ambiente. Os
cálculos ab initio de Wolf e Herzig mostram diferenças de energia muito pequenas entre
as estruturas de grupos espaciais P3c1, P63cm e P63 e a análise de dados experimentais
com técnicas distintas divergem entre tais estruturas. (WOLF, 2002) (FEDOTOV,2006)
(KIEREY,2001). Outrora, os experimentos que investigaram o YH3 sob pressão
divergiram sobre a pressão crítica entre a estrutura cristalina hexagonal e cúbica de face
centrada.(OHMURA,2006)(KUME,2007).
O objetivo deste trabalho é contribuir com mais um resultado téorico, apresentando-se
de acordo com as análises anteriores e indicando qual a pressão de transição para a fase
cúbica supercondutora.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.