Caracterização elétrica de um Sensor de pH usando um Transistor de Efeito de Campo com Gate-Estendido

William Max dos Santos Silva Silva

Resumo


Devido as aplicações dos biossensores para o desenvolvimento dos mais variados segmentos como processamento de alimentos, farmácia, medicina entre outros, e com o avanço exponencial da microeletrônica, a cada dia esses sensores vêm se tornando mais baratos e compactos, possibilitando medidas confiáveis em tempo real tão seguras quanto as dos aparelhos empregados em laboratórios de análise. (Sugimoto L. 2003)
Sensores são dispositivos capazes de mensurar ou quantificar uma grandeza – luminosidade, pressão, pH – a partir de um sinal físico ou químico. São compostos também por um transdutor, o qual converte um sinal de entrada para um domínio desejável, geralmente sinal elétrico (Balbinot, A.; Brusamarello.2011).
Os biossensores baseados na técnica de potenciometria proposta por Nernste em 1888 é uma das técnicas mais aplicadas para medidas de pH, atividade fundamental para os mais diversos campos, uma vez que com este é possível fazer medidas indiretas de ureia, colesterol, glicose e etc. (Daniel R. Thévenot, at.al. 1999).
Com o advento dos transistores muitas pesquisas vêm surgindo a exemplo do Ion Sensitive Field Effect Transistor ISFET e suas aplicações como biossensor (Bergveld, P. 2003). Dentro desta perspectiva o trabalho propõe simular e caracterizar eletricamente uma membrana sensível a H+ a partir de um transistor.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.