Estudo do Seeing através da FWHM (Full Width at Half Maximum)

José Henrique Costa Pinto Souza

Resumo


Nas áreas experimentais, condições do ambiente são de extrema importância para uma boa
execução do experimento. Na Astronomia, como uma ciência observacional, esse aspecto não
é diferente, pois a mesma possui uma dependência extrema de fatores como o clima, altitude,
fases da Lua, turbulências atmosféricas, entre outros. Levando isso em consideração, são
discutidas várias formas para determinar a qualidade de um sitio observacional, empregando
técnicas simples ou completamente automatizadas. Nesse estudo, abordamos uma
metodologia bastante simplificada baseada na análise de uma estrela observada em diferentes
massas de ar. O resultado esperado é uma medida do “seeing”, caracterizado como um
fenômeno que se manifesta nas imagens formadas por telescópios ópticos instalados na
superfície terrestre. Sua ação faz com que a imagem de uma estrela seja alargada em
decorrência dos movimentos turbulentos da atmosfera terrestre. O “seeing” é uma medida em
segundos de arco da largura máxima a meia altura (do inglês Full Width at Half Maximum
(FWHM)), de um objeto (no caso uma estrela), o qual nos fornece uma ideia da turbulência
atmosférica do local (sítio de observação). Considerando o brilho de uma estrela , quando os
raios de luz provenientes desta fonte penetram na atmosfera, encontram um meio no qual as
condições físicas (densidade, temperatura, pressão, iluminação) e de composição química (
percentagem relativa de gases)variam espacial e temporalmente(Harwit,1983). Em foco de
um grande telescópio os efeitos da turbulência da atmosfera causam rapidamente imagens
borradas (Pereyra 2003).


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.