CONDIÇÕES DE TRABALHO E CONCEPÇÕES SOBRE SAÚDE/DOENÇA NAS NARRATIVAS DE MULHERES FEIRANTES

Alenna Letícia Inácio Costa

Resumo


As feiras livres são eventos que ocorrem em todas as cidades do mundo, incluindo povoados, aldeias ou pequenas comunidades, podendo ser urbanas ou rurais. Apesar de ser um espaço de troca/venda de mercadorias, nele está contido um ambiente potencial de possibilidades de análises incluindo o fato de como esta troca/venda se insere no contexto das relações sociais e de como essa atividade informal pode repercutir na vida do indivíduo, principalmente no âmbito da saúde/doença.
O campo empírico desse estudo representa uma alternativa profissional e um meio de prover as necessidades dos que ali trabalham, sendo predominantemente, compostas por mulheres de diferentes faixas etárias (AQUINO, 2010). A informalidade por sua vez, tem seus reflexos no dia-dia do trabalhador informal, que passa a ter um ritmo de vida determinado pelo dia, que também delimita suas alternativas de esforço e repouso. Tudo isso sempre cercado por uma instabilidade com relação ao dia seguinte, ao suprimento das necessidades da vida e ao próprio futuro (AQUINO, 2010).
Nesta perspectiva, a pesquisa enfoca as trabalhadoras feirantes, que reconhecidamente, constituem um grupo ocupacional vulnerável em razão de sua atividade ocupacional, possuindo condições desfavoráveis de trabalho, as quais apresentam reflexos nas suas condições de saúde (AGUIAR et al., 2009).
O estudo teve como ponto de partida as seguintes questões orientadoras: Como as mulheres feirantes que atuam na feira livre do Tomba em Feira de Santana - BA percebem suas condições de trabalho? Como as mulheres feirantes concebem o seu processo saúde-doença?A pesquisa se justifica, tendo em vista que mesmo com a importância histórica, social e cultural das feiras livres, realizadas em um contexto que envolve inúmeras práticas de cuidado, influenciadas por tradições, crenças e valores partilhados por feirantes e fregueses, trata-se de tema pouco explorado no universo local.
Este estudo tem como objetivo geral compreender as concepções de mulheres feirantes que atuam na feira livre do Tomba em Feira de Santana - BA sobre o processo saúde-doença, tomando como referência as suas condições de trabalho. E como objetivos específicos: identificar as características sociodemográficas de mulheres feirantes e as condições de trabalho na feira livre, descrever as concepções de mulheres feirantes sobre o processo saúde/doença e analisar as diferentes condições de trabalho da mulher feirante e sua repercussão na saúde/doença.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.