PERFIL DAS GESTANTES ADOLESCENTES SEGUNDO FREQUÊNCIA AO PRÉ-NATAL E IDADE GESTACIONAL EM FEIRA DE SANTANA-BA, NO PERÍODO DE 2012-2014

Caroline Andrade Araujo

Resumo


A gravidez na adolescência carrega consigo além de potenciais repercussões, no plano existencial, repercussões no plano biológico-social, de maior concentração de agravos à saúde materna, bem como de complicações perinatais. No mundo, cerca de um quarto das mulheres têm seu primeiro filho antes de completar 20 anos de idade, com taxas ainda mais elevadas em países subdesenvolvidos e em desenvolvimento (GOLDENBERG et al., 2005; IBGE, 2010; MARTINS et al., 2011).
Inúmeros aspectos caracterizam a gestação nesta fase como risco, como o difícil acesso aos serviços de saúde, o baixo nível socioeconômico, comportamentos de risco, hábitos e nutrição inadequada, demonstrando a necessidade de controle dos fatores associados à evolução e ao desfecho da gestação e condições de saúde materno-infantil (SANTOS et al., 2014).
Este estudo teve como objetivo caracterizar o perfil das gestantes adolescentes segundo a frequência ao pré-natal e à idade gestacional no momento do parto, como objetivos específicos analisar as características sociodemográficas, do pré-natal e de nascidos vivos de mães adolescentes e avaliar a possível associação entre a gravidez de adolescentes e a ocorrência de nascidos vivos prematuros.
Considerando que a maternidade precoce é um tema de grande relevância, é importante o desenvolvimento de estratégia para intensificar as ações educativas, em particular, sobre a sexualidade e saúde reprodutiva. Os profissionais de saúde devem se qualificar para oferecer à atenção de qualidade no pré-natal desenvolvendo estratégias de incentivo para as mães adolescentes darem continuidade ao acompanhamento.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13102/semic.v0i22.4142

Apontamentos

  • Não há apontamentos.