ASSISTÊNCIA À GESTANTE HIV + NA PERSPECTIVA MULTIPROFISSIONAL EM SAÚDE

Luana Gabriella Pinheiro Barrêto

Resumo


O Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV) vem disseminando-se de forma gradual e intensa nos países subdesenvolvidos. No Brasil, essa infecção teve início na década de 1980. No início, a infecção se relacionava com pessoas do sexo masculino e homossexuais. Atualmente, vem atingindo mulheres de todos os níveis conjugais e sociais (BARROS et al., 2012).
No município de Feira de Santana, Bahia, segundo os dados do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais, o número de casos de HIV notificados no SINAN, do ano de 2010 até 2015, foi de 611, sendo 392 no sexo masculino e 219 no sexo feminino. A quantidade de gestantes portadoras de HIV foi de 65, a taxa de detecção do vírus aumentou em quase 143% entre estas, neste mesmo período (BRASIL, 2016).
A escassez de dados sobre a assistência às gestantes HIV+ no Centro de Referência DST-HIV-AIDS do município de Feira de Santana – BA e a necessidade de ampliação do conhecimento sobre a atenção dispensada a essas mulheres foram justificativas para a realização deste estudo, bem como os benefícios que esta pesquisa poderá oferecer aos acadêmicos, profissionais da área e pessoas com o diagnóstico de HIV+, ao elucidar o trabalho multiprofissional e respaldar a melhoria das práticas profissionais por meio das reflexões a partir dos resultados.
Assim, o objetivo deste trabalho é compreender a atuação dos profissionais de saúde na assistência às gestantes HIV+ no Centro de Referência DST-HIV-AIDS de Feira de Santana – BA.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.