A QUALIDADE DE TRANSMISSÃO DA VOCALIZAÇÃO EM CÂMARAS NO SOLO DA ESPÉCIE LEPTODACTYLUS TROGLODYTES (ANURA: LEPTODACTYLIDAE)

Juliane Santos da Silva

Resumo


baseia no envio de uma informação de um emissor para um receptor e o veículo pelo qual essa informação é passada é chamado sinal (Simmons, 2003). A comunicação acústica é muito importante na reprodução dos anfíbios anuros, pois o macho emite o canto, a fêmea interpreta este sinal e usa suas características acústicas paraselecionar o parceiro sexual (Simmons, 2003). Neste contexto, estudos prévios têm mostrado que fêmeas, de várias espécies, exibem preferências por propriedades acústicas as quais há um alto gasto energético por parte do macho que vocaliza (Gerhardt& Huber, 2002). As propriedades espectrais dos cantos (frequência e amplitude) podem estar relacionadas à morfologia do macho. A freqüência dominante está relacionada à massa e ao tamanho das cordas vocais. Já as propriedades temporais, como o número de notas e a duração do canto, são influenciadas pelo comportamento e pela temperatura (Ryan, 1988). A transmissão do sinal acústico pode sofrer interferências; a degradação e atenuação são fatores responsáveis pela perda das características do sinal durante a transmissão do som através da atmosfera. Os sinais acústicos evoluíram para comunicação a longas distâncias e esses sinais estão geralmente sujeitos a forte seleção natural imposta pelo ambiente, como presença de predadores e competidores (Ryan&Kime, 2003). Interferências ambientais podem degradar o sinal destes animais, como a reverberação que causa principalmente redirecionamento das ondas sonoras a partir de folhas, galhos e outros componentes da vegetação. Algumas características acústicas podem minimizar essas interferências, por exemplo, os sinais sonoros de maior duração têm mais chances de se propagar com menor degradação (Wiley& Richards, 1978). A frequência (Hz) é outra característica que pode aumentar o alcance da transmissão. Os sinais emitidos em entre 1 e 4 kHz têm um maior alcance de transmissão do sinal na comunicação acústica independente do habitat,(Wiley&Richards, 1978) Algumas espécies como Leptodactylus troglodytes, podem vocalizar no interior de câmaras em solo úmido, perto de lagoas temporárias. Estas câmaras podem ser buracos formados por raízes de árvores ou arbustos, ou cavidades entre rochas ou entre rochas e solo. Estas câmaras além de proteção para acasalar com as fêmeas, podem também servir como um mecanismo de amplificação do som, promovendo uma propagação mais eficiente. Este trabalho visa investigar as características dos cantos emitidos pela
espécie Leptodactylus troglodytes, bem como as alterações sofridas na estrutura dos
cantos quando emitidos em câmaras de diferentes proporções.


Texto completo:

Sem título

Apontamentos

  • Não há apontamentos.