Modelagem do efeito da temperatura na secagem de licuri (Syagrus coronata)

Ana Cleide Nascimento dos Santos

Resumo


O Licuri (Syagrus coronata) é uma palmeira nativa do território brasileiro. É nativa de uma região que compreende o sul de Pernambuco, os estados de Alagoas e Sergipe, toda a região central, oriental e sul da Bahia e toda a região norte de Minas Gerais, preferência característica por regiões secas e áridas da Caatinga (NOBLICK, 1986).
Otimizar o uso desta palmeira contribui para a melhoria da qualidade de vida da população dessa região, tanto com a utilização dos seus frutos na alimentação humana, pois estes apresentam um bom valor nutricional, como também para aumentar o desenvolvimento socioeconômico do semiárido, gerando renda para a população, pela utilização do óleo de suas amêndoas como matéria prima para diversos produtos (SANTOS, 2011).
A secagem é um processo físico caracterizado pela remoção de uma substância volátil, em geral a água, a partir de um material sólido. A porção de água contida no sólido qualquer proporciona a redução do volume e peso, facilitando o armazenamento e transporte, agregando valor (MENEZES et al., 2013).
Secagem é um método bem estabelecido de conservação de alimentos, que promove a conservação das propriedades físicas e químicas durante um longo período de tempo, desde que os baixos níveis de água no sólido seco impeçam a ação enzimática e também evitem o crescimento de microrganismos. No entanto, a exposição dos materiais à secagem com ar quente pode causar a degradação deles. As variáveis-chave no processo de secagem são o tempo de secagem, temperatura e atividade de água inicial e final. Seus valores são determinantes para a qualidade do produto final (MOCELIN, et al., 2014).
Este trabalho propõe a verificação da influência da temperatura sobre a secagem da amêndoa do licuri.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.