ATRIBUIÇÃO DE PRIORIDADES EM REDES DE SENSORES SEM FIO EXPLORANDO MINERAÇÃO DE DADOS EM REDES SOCAIS: IMPLANTAÇÃO E SIMULAÇÃO

Daniel Coelho de Andrade

Resumo


As Cidades Inteligentes se tornaram o elemento central para a solução de diversos
problemas que atualmente afetam os ambientes urbanos, tais como problemas de
mobilidade e eficiência energética que, invariavelmente, são intensificados pelo
crescente aumento da população (Su et al. (2011)). As iniciativas de Cidades
Inteligentes, através da utilização de tecnologias de comunicação e sensoriamento, têm
sido desenvolvidas para lidar com a progressiva preocupação com o gerenciamento
eficiente de recursos (Costa et al. (2017)). Atualmente, tais iniciativas são baseadas no
conceito de Sistema de Sistemas, conjuntura na qual diferentes dispositivos embarcados
e inteligentes interagem entre si provendo informações valiosas para a melhoria da
qualidade de vida nesses ambientes e, para tanto, operam sobre redes baseadas na
Internet ou específicas para a sua aplicação.
A interconexão de sensores na forma de Redes de Sensores Sem Fio (RSSF) permite a
criação de infraestruturas distribuídas para o monitoramento das Cidades Inteligentes,
possibilitando a coleta de diversas informações que refletem sua dinâmica. A natureza
multi-sistema das Cidades Inteligentes traz desafios específicos que requerem soluções
inovadoras. Dentre esses desafios, centenas ou milhares de sensores podem estar
continuamente transmitindo informação, tarefa que pode requerer uma quantidade
considerável de largura de banda e, devido as aplicações envolvidas, se faz necessária
uma alta vazão e uma alta taxa de confiabilidade na transmissão. Diante desses
requerimentos, a otimização da transmissão dos dados coletados possui um caráter
extremamente importante no cenário das Cidades Inteligentes e esta é a motivação
principal deste trabalho.
As redes sociais se tornaram bastante populares nos últimos anos devido a proliferação
de dispositivos capazes de acessar a Internet (Dafallah (2014)). No Twitter , por
exemplo , os usuários compartilham, em tempo real, uma enorme quantidade de dados
sobre diferentes tipos de eventos cotidianos (ex: congestionamentos, estréia de filmes).
Ao utilizar técnicas de mineração de dados, tais eventos podem ser processados e
utilizados para otimizar a transmissão dos dados em uma RSSF (Andrade et al. (2017)).
Dentro desse contexto, este trabalho dá continuidade à proposta de Andrade et. al
(2017) ao propor novos níveis severidade contextual dos eventos, implementar
mecanismos de cálculo de escopo e, por fim, efetivar e simular os mecanismos
propostos em ambiente computacional.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13102/semic.v0i22.4175

Apontamentos

  • Não há apontamentos.