CARACTERIZAÇÃO DE BANCO DE SEMENTES DO SOLO, EM ÁREA DE MATA CILIAR NAS MARGENS DA CACHOEIRA DOMINGOS LOPES, MORRO DO CHAPÉU

Robson de Jesus Santos

Resumo


A cachoeira Domingos Lopes é um manancial perene que fornece água para a Bacia do Jacuípe, sendo sua manutenção essencial para permanência do próprio rio Jacuípe e consequentemente para os mananciais existentes na região de Feira de Santana. A vegetação ciliar ao longo desta tem papel importante na manutenção do equilíbrio ecológico, protege o solo e os recursos hidrológicos, contém o assoreamento, auxilia na preservação da biodiversidade e qualidade da água (MARMONTEL & RODRIGUES, 2015). Segundo Lacerda et al. (2010) podem dispor-se a distâncias variadas da margem além de delimitar o ecossistema terrestre do aquáticos, com variações na estrutura e composição florística.
Caracteriza-se como banco de sementes do solo todas as sementes existentes no mesmo ou serrapilheira viável, em uma determinada área e em um determinado momento. Este é um sistema, no qual se verifica a entrada e saída de sementes por meio de chuva de sementes e dispersão, sendo transitório quando as sementes germinam num período de um ano ou persistentes quando essas permanecem no solo por período superior a um ano (CALDATO et al., 1996).
Partindo da premissa de conhecimento sobre composição florística deste, tem-se um importante instrumento para entender a evolução de uma determinada espécie, sendo possível assim, projetar a recuperação da área (COSTA et al., 2013). Além, de possibilitar o estabelecimento de uma vegetação parecida com as condições naturais (SANTOS et al., 2017).
Assim, o objetivo deste trabalho foi conhecer e comparar a composição e densidade do banco de sementes do solo nas margens da cachoeira Domingo Lopes.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13102/semic.v0i22.4205

Apontamentos

  • Não há apontamentos.