CURVA DE CRESCIMENTO E ANÁLISE BIOQUÍMICA EM EXPLANTES FOLIARES DE Poincianella pyramidalis [TUL.] L.P. QUEIROZ.

Rosembrando Sosthenes Leite Filho

Resumo


A espécie Poincianella pyramidalis [Tul.] L.P.Queiroz, sinonímia Caesalpinia pyramidalis [Tul.] pertencente à família Fabaceae, é conhecida popularmente como catingueira, catinga-de-porco, pau-de-porco e pau-de-rato (MAIA, 2012). Sua madeira é utilizada como fonte de lenha, carvão, estacas, podendo também ser utilizada para restauração florestal e como fonte de feno para alimentação animal, possuindo ainda utilização medicinal popular, cujas flores, folhas e cascas são utilizadas no tratamento das infecções catarrais e diarreias (MAIA, 2012). O uso dos seus recursos pode impedir sua reprodução natural, ocasionando problemas com a propagação, o que pode contribuir para o risco de extinção. Diante disso, faz-se necessário a elaboração de estratégias para sua multiplicação, conservação e manejo sustentável. Neste sentido, a utilização de recursos como técnicas de cultura de tecidos vegetais, tem auxiliado na propagação clonal de genótipos de várias espécies lenhosas. Dentre as técnicas da cultura de tecidos, tem-se a micropropagação que se trata de uma técnica que permite a obtenção em curto espaço de tempo e em qualquer época do ano, de grande número de plantas com qualidade fitossanitária (NAGAO, PASQUAL, RAMOS. 1994); podendo ser realizada por duas vias: organogênese ou embriogênese somática (PASQUAL et al., 1997), das quais podem ser obtidas diretamente do explante ou indiretamente, por intermédio da formação de calos. No processo de desenvolvimento in vitro, o calo passa por diferentes fases que resultam em mudanças em sua morfologia, dentre as quais pode-se identificar os fatores relacionados à sua friabilidade ou desenvolvimento de embriões somáticos (VASCONCELOS et al., 2012). A identificação destas fases é feita através da construção da curva de crescimento de calos, onde é possível avaliar os processos fisiológicos fundamentais que influenciam no crescimento destes. Na obtenção dos processos morfogênicos in vitro, são utilizados reguladores de crescimento vegetal, como citocininas e auxinas, em que o balanço entre as concentrações dos mesmos são fatores determinantes para o desenvolvimento da planta in vitro (PIZA et al., 2001). Nesse contexto, objetivou-se estudar a curva de crescimento de calos em P. pyramidalis, assim como analisar bioquimicamente os calos obtidos.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13102/semic.v0i22.4208

Apontamentos

  • Não há apontamentos.