USO DE MEMBRANAS DE UF NA PURIFICAÇÃO DE ENZIMAS DE ORIGEM MICROBIANA

Paula Gonçalves de Aquino Pires

Resumo


O licuri, Syagrus Coronata (Martius) Beccari, pertence à subfamília Arecoideae.
Essa é uma espécie predominante nas regiões secas e áridas do bioma Caatinga, com
uma área de distribuição que vai desde o norte de Minas Gerais até o sul de
Pernambuco, abrangendo ainda os estados de Sergipe e Alagoas (NOBLICK, 1986).
Uma maneira extrativista utilizada pelos moradores e cooperativas na região Nordeste
do Brasil é a extração do óleo de licuri, que pode ser aplicado na cozinha, indústria de
perfumes e de sabão (TREVIZAM et al., 2014). A torta resultante da extração do óleo
da amêndoa também é utilizada na ração animal por ser bastante nutritiva, e é
justamente esta capacidade nutritiva que possibilita o desenvolvimento de microorganismos
de interesse no trabalho desenvolvido (LORENZI, 1992).
A biotecnologia pode ser uma alternativa de valorização das propriedades do
licuri, podendo agregar valor comercial mais elevado aos produtos e utilizando menos
matéria prima. Para recuperação, purificação e concentração de biocompostos tem-se
avaliado o uso da ultrafiltração (UF), que é um processo de bioseparação que surgiu em
1960, e utiliza membranas como barreiras seletivas para efetuar a separação de
compostos, o que significa que a separação ocorre devido ao fato das membranas
utilizadas serem capazes de restringir a passagem de espécies presentes de um meio
para outro (FELLOWS, 2006 apud PEREIRA, 2009). Nessa linha de atuação, o
presente trabalho foi desenvolvido com o objetivo de se obter, através de microorganismos
do semiárido, enzimas de aplicação em produtos alimentícios, utilizando a
UF, de forma a obter um método eficiente de purificação das enzimas produzidas via
fermentação semissólida e determinar qual a melhor membrana a ser utilizada nesse
processo.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.