ANÁLISE E DESCRIÇÃO DE CANTOS AGONISTICOS DE ANUROS (PHYLLOMEDUSA BAHIANA E RHINELLA HOOGMOEDI)

Thais Moreira de Almeida

Resumo


A comunicação em anuros baseia-se principalmente na emissão de vocalizações, que são sinais sonoros emitidos pelos machos, durante algum comportamento social, tais como, o cuidado com a prole, corte, organização de coro na fase reprodutiva, manutenção de espaçamento durante a corte nupcial e territorialidade (Duellman & Trueb, 1986). Muitos anuros podem apresentar um repertório vocal diverso, que varia de acordo com o contexto social (Guimarães & Bastos, 2003; Lemes et al., 2012; Toledo et al., 2015). Na literatura, é possível encontrar descrições de diferentes tipos de cantos, como por exemplo, o canto de anúncio, que é o mais comum, utilizado principalmente para atrair as fêmeas e também para anunciar sua presença no local. Outro canto comumente encontrado entre as espécies é o canto territorial, emitido pelo macho em defesa do seu sítio de vocalização (Gerhardt & Huber, 2002).).
Ainda há o canto agonístico, que é um canto de difícil registro e, portanto, não há muita informação na literatura. Esse tipo de canto é emitido como resposta a perturbações causadas por fatores bióticos, como a presença de outro indivíduo da mesma espécie e emitido para delimitar um território, ou também emitido para predadores potenciais (Zank et.al 2008). Sugere-se que o canto agonístico esteja relacionado também a cantos agressivos (Zank et.al 2008), que são cantos mais longos e apresentam um som característico (Delgado 2010).
Com o intuito de fornecer mais informações sobre cantos agonísticos de outras espécies, o objetivo desse estudo foi analisar e descrever os cantos agonístico de duas espécies de anuros, Phyllomedusa bahiana (Phyllomedusidade) e Rhinella hoogmoedi (Bufonidae) e compará-los com cantos de anúncio destas espécies registrados na literatura.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13102/semic.v0i22.4231

Apontamentos

  • Não há apontamentos.