A Teoria Microscópica BCS (Bardeen-Cooper-Schrieffer) e os resultados da Eletrodinâmica de London

Autores

  • Edine Silva dos Santos

DOI:

https://doi.org/10.13102/semic.v0i23.6618

Resumo

A Teoria de J. Bardeen, L. Cooper e R. Schrieffer, ou apenas Teoria BCS, publicada
em 1957 foi decisiva para a compreensão microscópica do fenômeno da
supercondutividade do tipo 1 em metais. Desde o seu descobrimento em 1911 por
Kamerling-Onnes diversos físicos trabalharam na tentativa de criar uma teoria que desse
conta do fenômeno, muitos sem sucesso, outras com contribuições importantes como o
trabalho dos irmãos Fritz e Heinz London em 1934, que chegou a um poderoso
resultado, o chamado comprimento de penetração de London, λ, que mede a penetração
do campo magnético na superfície do material, além de dar conta do efeito Meisnner, do
comportamento diamagnético e da resistividade nula.

Downloads

Publicado

2021-04-01

Edição

Seção

Ciências Exatas e da Terra