A Representação Discursiva do Núcleo Familiar na Revistas Jornal das Moças da 50.

Autores

  • Naiane Santos Couto

DOI:

https://doi.org/10.13102/semic.v0i23.6662

Resumo

O objetivo geral desta pesquisa é identificar e analisar a construção discursiva da imagem da mulher nas famílias brasileiras na década de 50, a partir Jornal das Moças, tendo como foco as reflexões teóricas da Análise de discurso pecheutiana. Historicamente, podemos observar que a mulher sempre esteve ocupando posições diferentes daquelas ocupadas pelos homens em diversas esferas, inclusive na esfera da constituição da família. Uma posição feminina diferente da idealizada pela sociedade patriarcal gerava conflitos, uma vez que considerava-se que o lugar natural da mulher era o lar e totalmente submissa ao marido. Isto ocorre, de maneira geral, desde séculos anteriores, quando as mulheres tinham apenas a função doméstica e reprodutiva eram construídas socialmente para serem donas do lar,esposas e mães, o que incluía saber lavar, passar, cozinhar e cuidar dos afazeres domésticos.. Esses deveriam ser atributos das mulheres uma vez que o espaço doméstico seria o seu “lugar” naturalizado de ocupação. A luta das mulheres por seus direitos tem raízes profundas no passado, sua historia foi escrita cotidianamente ao logo dos séculos.

Downloads

Publicado

2021-04-01

Edição

Seção

Educação, Letras e Artes